Encomenda do prazer

Oi meus lindos estou de volta pra relatar pra vcs mais uma aventura minha com meu amigo fogoso..
Bom como me apresentei no outro conto sou loira,1,67 de alturas olhos claros,pele branquinha,um pouco acima do peso mais ainda sou comivel..rsrs.Meu amigo fogoso 1,70,moreno olhos claros uma tentação…
Vamos ao q interessa…
Hoje a tarde meu amigo fogoso veio de uma das suas diarias viagens e trouxe uma incomenda pra me entregar,me ligou do meio do caminho e disse q estava chegando e que queria fuder minha buceta bem gostoso,na hora fiquei logo louca de tesão..tomei um banho,passei um hidratante no corpo,vesti um vestidinho..detalhe somente o vestido..e fiquei esperando meu amigo,no momento do telefonema eu estava em casa sozinha,(moro em uma chacara)
,mas para o nosso azar foram todos chegando antes do meu amigo…assim q ele chegou e viu o movimento da casa me olhou com aquela cara de cachorro pidão…ai conversamos um pouco e fomos para uma contrução q estão fazendo no terreno ao lado da nossa casa..e ali mesmo ele começou a me chupar,disse q estava louco pra meter da minha buceta e q seria ali mesmo..ele me jogou na parede e me chupou toda,enfiava a lingua em minha buceta e me fazia gemer gostoso o medo e a vontade de fuder se misturava e aumentava mais ainda o nosso tesão,eu me abaixei e coloquei aquele pau gostoso em minha boca..ai foi tao gostoso,chupei aquele pau como se eu fosse um animal faminto engolir ele cm por cm,foi uma delicia,depois ele me colocou de 4 me apoiando na parede e ele enfiou em minha buceta,ele enfiava com tanta força que me fazia gemer a cada bombada foi me deixando louca,depois ele enfiou em meu cu sem nenhum aviso..doeu muito mais depois a dor foi dando lugar ao prazer fudeu bastante o meu cu e depois colocou na minha buceta me fazendo gozar,,gozei tanto q mal me segurava em pe,mais eu queria mais queria sentir ele gozar no meu cu..e ele não disse não..enfiou no meu cu e bombeiou forte ate ele soltar aquele urro de prazer..ao ouvir ele gemer eu nao aguentei e gozei de novo,assim q ele tirou o pau gozado no meu cu,tomamos um banho no fundo do quintal, e la mesmo eu paguei um boquete gostoso pra ele,fazendo-o gozar em minha boca,adoro sentir aquele leite jorrando em minha lingua ele fudeu minha boca como se fosse minha buceta..eita incomenda bem entregue…
bjos e espero q tenha gostado do conto…

Prima e irmã iv (anal com a prima)

A primeira foda que tive com minhas prima e irmã juntas, como já disse a vocês, aconteceu em numa madrugada, quando as duas foram peladinhas bater na porta do meu quarto.
E é para contar o que aconteceu no dia seguinte a toda aquela loucura que estou escrevendo este relato hoje!
Com já era de se esperar, e quem já leu meus outros relatos sabe disso, minha prima que é completamente tarada, passou a manhã do dia seguinte se esfregando em mim a todo o momento que ficávamos a sos. Depois fiquei sabendo não era só em mim que a safada se esfregava o tempo todo.
Minha irmã me contou depois que na mesma madrugada, depois que as duas saíram do meu quarto minha prima ainda queria trepar com minha irmã dentro do banheiro do quarto delas, enquanto elas banhavam. Como minha irmã estava muito cansada ela desistiu, mas já na cama prontas pra dormir, minha prima não deu sossego e foi direto se enfiar no meio das lindas pernas de minha irmã, e chupar sua deliciosa bucetinha até a pouco virgem.
Só depois que minha irmã deu uma gozada na boca dela, que minha prima foi pra sua cama e a deixou dormir. Porem na manhã seguinte minha prima, antes mesmo que minha irmã acordasse, já estava em sua cama chupando seus lindos peitinhos e tentando enfiar os dedos em sua boceta, só depois de minha irmã abrir bem as pernas e puxar a cabeça da prima ate seu ventre onde passou a esfregar o seu rosto em toda sua virilha, buceta e onde mais ela conseguisse alcançar com seu rebolado frenético, incluindo o seu cuzinho, lindo e bem depilado como também era sua boceta.
Depois de melar completamente o rosto de nossa prima com seu gozo matinal minha irmã foi tomar banho no banheiro social enquanto minha priminha banhava na suíte, encontrando-se as duas depois na cozinha, onde eu já estava tomando meu café e tinha o pau apertado debaixo da mesa por minha prima, como que desejando um bom dia!
Fomos então para escola, faculdade, enfim seguirmos as nossas rotinas, e só nos encontramos à tarde. E como a nossa priminha veio com nossa tia para a nossa casa justamente ?tomar conta de nos? enquanto minha mãe e tia trabalhavam, foi justamente isso que ela fez a tarde inteira. E como fez bem feito!
Foi uma tarde de pura devassidão, já que agora estávamos mais íntimos e não existiam mais barreiras a serem quebradas entre nos. Já havia quebrado o cabacinho de minha irmã e já tinha transado com minha prima e enchido sua cara de porra em praticamente todos os cantos da casa. Mas foi nesta tarde que demos mais um salto em nossa relação e que salto!
Ocorreu quando no meio de uma trepada em que minha prima estava de quatro sendo estoca por mim como uma cachorrinha e tendo os peitos chupados por minha irmã ficou com o seu cuzinho piscando (por causa do tesão) seu cu piscava muito, como que pedindo por um cacete bem duro. E foi justamente o que eu resolvi fazer naquele momento.
Ela, ao me ouvir dizer que ia comer seu cuzinho ficou completamente descontrolada tamanho foi o tesão que ela sentiu, pois apesar de ser muito safada e já transar a algum tempo, nuca tinha dado a bundinha!
Minha irmã, que ate aquele momento só chupava os seios de minha, prima chegou a duvidar que ela agüentasse minha rola em seu cuzinho, pois nunca tinha dado o rabo e meu cacete é bem grande e grosso, mas minha prima cheia de desejo e coragem, disse que não sossegaria enquanto não sentisse minhas bolas batendo em sua bundinha.
Dito e feito! Primeiro coloquei-a de quatro com o rabo completamente exposto apontando para o alto e comecei uma chupada em seu cuzinho guloso que de tanto tesão não parava de piscar chupei tanto que podia ver o cu dela já um pouco mais aberto. Quando senti que estava bem relaxado e lubrificado com saliva resolvi então que havia chegado à hora de comer aquele lindo cuzinho virgem!
- Vai putinha, relaxa esse cu!
- Minha prima estava com muito tesão, pois alem da chupada em seu cuzinho que eu tinha dado, minha irmã estava grudada em sua boca dando um beijo de língua tão tesudo que só vendo!
- Relaxa que vou tirar teu cabacinho anal!
- Anda, abre o rabo pro seu priminho abre!
Enquanto dizia isso eu esfregava meu pau todo melado e completamente duro por todo o rego e na porta do cuzinho de minha prima, e tentava colocá-lo aos poucos em seu cuzinho que mesmo bem lubrificado e relaxado mantinha resistência.
Minha irmã vendo que eu enfrentava dificuldade sugeriu então que devíamos tentar algum tipo de lubrificante, pois duvidava que só com saliva eu conseguisse.Gostei da idéia e mesmo sob protesto de minha que reclamou quando me afastei, fui atraz de algo que pudéssemos usar para lubrificar ainda mais meu cacete e o cuzinho virgem da priminha, por sorte ou destino, encontrei justamente nas coisas de minha tia um óleo para a pele, desses pos banho, mas que naquela circunstancia seria ideal!
Depois de espalhar bastante óleo no meu cacete e por todo o rabo de minha prima pude conferir com os dedos que agora sim conseguiria sem duvida atingir meu objetivo e romper aquelas preguinhas ate então intactas!
- Relaxa que agora vai!
- Hummm, ai, aaaaiii, ai!
- Sentiu a cabeça entrar?
-Sim! Aiii, humm, ta doendo um pouco!
-Vem aqui me da um beijo, vem priminha!
- Calma que a cabeça já entrou toda!
Ao colocar a cabeça do pau toda no cu de minha prima parei um pouco os movimentos pra que ela pudesse se acostumar com a dor e o volume do cacete e fiquei assistindo ela e minha irmã se beijarem apaixonadamente e minha irmã gemer gostoso, como se ela estivesse sendo fodida e não minha prima!
Depois de algum tempo e de sentir que a safada já havia se acostumado com o pau no cu, comecei um vai e vem muito gosto, ainda lento, mas que aos poucos foi ganhando ritmo e força, enquanto minha prima agora já chupava a buceta de minha irmã que estava deitada em sua frente e gemia pedindo.
- Come meu cuzinho!
- Isso safado
- Arrebenta minhas preguinhas com esse pau gostoso
-Fode meu cu fode!
E foi ouvindo as sacanagens que minha prima gritava enquanto chupava a buceta de minha irmã e tinha o cu fodido por mim, e vendo minha irmã gozar em sua boca que eu dei uma bela gozada no cuzinho de minha prima, que ao sentir os primeiros jatos de esperma entrando em seu cuzinho e tendo minha irmã esfregando sua buceta por todo seu rosto enquanto gozava, que minha prima também teve um orgasmo muito intenso.
Gozou gemendo muito, quase chorando e dizendo que seu corpo parecia estar levando vários choques. Aquele que seria o seu primeiro orgasmo anal!
Ainda ficamos os três deitados juntos por algum tempo. Foi quando minha querida irmãzinha me fez prometer que da próxima vez o rabo que eu iria comer seria o dela, e que minha prima só iria chupar sua boceta assim como ela tinha feito!
Promessas feitas, fomos nos arrumar para esperar nossas mães, como se nada tivesse acontecido.

Em quatro anos fui santa e puta

Oi queridos!!!
Esse é meu primeiro conto e espero que gostem.
Primeiro vou dizer como eu sou: moreninha clara, 1,60m, 50k, e toda castanha.
Agora vou falar rapidinho da minha vida, sou casada, amo meu marido que é muito cimento, mas isso ñ vem ao caso, e ele é bem gostoso mas já tive picas bem maiores que a dele e todas elas do meu tempo de faculdade.
Logo que entrei no curso de história vi que tinha só homem na minha sala, um ou dois novinhos, como eu estava acostumada, e não dei bola pra Ninguém, como minha mãe disse eu tava lá pra estudar e não fazer amizade. Levou um bom tempo pra eu fazer amizade com a galera que eu andava.
O primeiro que eu peguei tinha mais ou menos a minha idade na época, 25anos.
Ele era um pm e a farda marcava bem o meu interesse nele. Um dia depois que uma turma se formou fomos ao barzinho da faculdade, e ele veio falar comigo, como moro no litoral e era verão, fui de vestido florido estilo menininha, e ele colocou a mão no meio joelho e brincando muito discretamente, papo vai papo vem, acabei perdendo o ônibus pra casa e pedi carona pra quem tivesse carro, ele me deu a carona e muito mais.
Entrei no carro, e sentei do lado dele e fomos conversando eu morava do outro lado da cidade, então ia ser uma viagem longa, e falamos de tudo, quando começou a me perguntar se eu tinha namorado eu disse que ñ mesmo pq ñ tinha pq mentir. Perguntou o que eu gostava de fazer com meus outros namorados, e comecei a perceber que ela tava com a pica dura e falei que tudo entre quatro paredes era válido. ele virou o carro numa rua que não tinha uma alma passando e perguntou se eu só deixava os namorados me tocaram eu disse que se valesse a pena a ficada…
Ele começou a passar a mão nas minhas pernas, das minhas coxas para a minha xotinha que já estava molhada só na conversa, eu não me fiz de rodada e comecei a roçar a mão o caralho dele, já estava uma tora de tão duro, ele disse tira a calcinha, que foi tirada de pronto, abri o ziper da farda e meti a mão no seu picasso e fiz aquela gulosa de tirar o fôlego, ele metendo os dedos na minha xaninha melada e dizendo nossa essa boca e divina, vc e uma tinha bem gulosa hein,e essa xaninha toda melada tão uma delícia, isso mama meu pau todo vadia, quando vi que ele ia goza falei que só ia engolir depois de sentir aquele caralho arregacando a minha bucetinha, ele disse vai lá pra trás cachorra que eu vou enfiar até o talo, e não é que ele botou tudo de uma vez, gozei logo de cara fiz ele me fuder bem rápido, disse me fode… me faz goza nesse caralho gostoso… aiiii que delícia de pica, vou se a tua putinha hoje …. hummmn
Vi que ele queria um pouco mais forte e falei que se ele quisesse, podia varar meu buraquinho, ele foi ao delírio, pensei não deve comer um cu a muito tempo o nunca comeu que só de coloca a cabecinha me deus umas quinze estocadas bem fortes e gozou, sentindo seu leitnho saindo do buraquinho bliguei com ele , disse seu viado de merda não disse que era pra goza na minha boca, agora vou ter que fazer tudo denovo, ela fui eu meter aquele caralho gostoso até ter o que eu queria.
Depois ele me deixou em casa, e foi embora e nossa relação durou uns dois meses, até eu perceber os outros homens da minha sala.
espero que tenham gozado ou melhor gostado
até a próxima

Minha tia realizou meu sonho

Ola amigos que adoram ler esses contos, estou aqui para contar lhes oque aconteceu com migo !!
   me chamo edson tenho 28 anos branco 80kg altura 180 moro no rio de janeiro .
vamos ao que interessa   no fim de semana fiquei só em casa pois meus pais viajaram para Bahia .
eu estava assistindo um filme quando bate a porta minha tia uma coroa de 45 anos de estatura meridiana branca com cabelos ruivos.
me perguntou cade seus pais viajaram mesmo eu disse sim entra tia ela entrou ficamos conversando sobre coisas normais nossa nem acreditava que estava com aquela delicia só eu e ela eu olhando fixamente para queles peitos deliciosos logo ele percebeu o volume no meu short .
me perguntou oque e isso edson eu lhe respondi meio sem graça tia ñ consigo mas esconder oque sinto pela senhora
tenho tesão enorme por você ,ela riu com a cara de safada dizendo bom já que estamos só aqui vou te mostra uma coisinha tirou aquele peitos enorme pra fora disse vem mata essa vontade fui imediatamente como um lobo esfomeado na quela teta s deliciosas chupando bem devagarzinho circulando a linguá no seu biquinho ela delirava de tesão terei sei vestido preto fui descendo    beijando tirei dua calcinha que ja estava molhadinha passei minha linguá bem devagar no seu grilinho   fazendo à relaxar por enteiro ele dizendo vai meu sobrinho querido faz a titia gozar hummmmmmmmmmm,hhhhhhhhh virei ela de costa pra mim mandei ela sentar no meu cacete que ja esta mto duro enquanto ela rebolava eu acariciava seu peitoes deliciosos sentindo ele tremer todinha eu beijando seu pescoço fazendo a goza intensamente   ela me deitou sentando nomeu cacete e começando a cavalgar deliciosamente eu dei uma gozada na sua xoxota que ela sentir escorer mto leitinho da sua xoxota ela levantou e chupou to o resto do leitinho depois fomos tomar banho ficamos assistindo filme deposi foi em bora ao sair disse posso vir amanha eu disse dim ela saiu sorridente!! olha amigos esopero que tenham gostado e me desculpe pelos mesu erros !! quem quizer falar com migo me mandar foto meu email.
                                

Meu 2º cuzinho

Meu 2º Cuzinho
Oi, voltei pra contar como comi o irmão de um amigo e esse ficou sendo meu 2º cuzinho que comi de outro menino da minha rua.
Estava com 17 p/ 18 anos e estava trepando com o Elias (ver conto anterior) quase q todos os dias, só ñ comia ele quando ir namorar com alguma menina. Só esclarecendo sou homem e ñ beijei ou bati punheta ou dei pra outro homem, meu negocio é comer uma bundinha bem gostosa seja de homem ou mulher de preferência. Mais ñ dispenso um cuzinho.
Um dia estava no maior sarro com uma menina no play do prédio escondido no salão de festas do prédio dela quando eu vejo o Rodriguinho e o Cristiano passarem em silencio p/ o fundo do prédio onde tem a casa de guarda ferramentas e é o quartinho dos porteiros.
A noite como ñ tem zelador só vigia o quarto fica deserto pois quase niguem vai lá pra traz do prédio, só os que estão afim de fazer algo escondido como eu tava fazendo com a Dani uma safadinha de 16 anos que tinha fama de putinha.
Estava chupando um dos peitinhos mais lindos que já vi quando vi os 2 passando. Como queria era comer a Dani nem dei muita atenção e voltei a chupar ela. Que logo disse:
- lá vai o diguinho (apelido do Rodrigo) pro quartinho comer o Cris.
Fiquei surpreso com o que ela disse, e falei.
- Desde quando o Cris é viadinho?
- Ele tem a maior fama de pegador? Até o irmão dele diz que ele já pego todas as meninas da rua inclusive vc.
Ela mais que depressa falou.
- Eu era afim dele mais desde o dia que peguei ele dando o rabo pro meu primo lá em casa perdi a vontade.
- Todo mundo pensa que ele é pegador mais na verdade adora dar o rabo.
Eu fiquei chocado na hora, pois o Cris era como as meninas diziam o mais lindo, mais gato, mais tudo da galera, e o irmão dele vivia suando com os outros.
Se o Serjão souber que o irmão gosta de dar o rabo vai matar ele de pancada. E fiquei muito curioso em ver ele dando o rabo.
Falei pra ela:
- Vamos lá ver eles?
Ela disse pra mim:
- Vamos por traz da casinha que tem uma janela que ñ fecha por que ta quebrada.
Assim que chegamos já vimos eles se beijando e se pegando igual a 2 namorados.
Eu que já tava de rola dura fiquei mais tarado ainda, pois adoro uma sacanagem. E botei ela de costas pra mi e fiquei pinando no rabo dela.
Ai que reparei que eles já estavam pelados e de pau duro um se esfregando no outro.
E o Cris falou:
- Deixa eu comer vc tb?
- Diguinho então falou: ta mais deixa eu comer primeiro.
Foi quando o Cris ficou de joelhos e deu uma chupada no pau do Diguinho, falando que era pra deixar ele bem babado pro não doer.
O Diguinho já não agüentando mais falou:
- Não para que to gozando, chupa, chupa!
O Cris continuou chupando e como tava de joelhos e o Diguinho em pé foi passando a mão no rabo do Diguinho e ele começou a falar. ? Paraaaa Cris, paraaahaha.
O Cris nem deu atenção continuou a passar a mão e sem tirar o pau da boca abriu a bunda dele e ficou enfiando o dedo no rabo do Diguinho.
Nessa hora eu já tava com a rola pra fora e comecei a baixar o short da Dani. Ela não falava nada tava de olho nos 2 e nem piscava. Acho que ela tava era com vontade de ir para junto deles.
Quando o Diguinho começou a gozar na boca do Cris foi que eu reparei que ele tava rebolando no dedo do Cris e dizia.
- Ai como é bom gozar com um dedo no rabo, mete mais vai, vai não para haaaaaaaaaaaaaa.
E ficou com o corpo todo mole e deitou num sofá que tinha no quartinho. O Cris foi logo dizendo agora é minha vez chupa vai. Chegou perto do Diguinho e mandou ele chupar sua rola.
Eu tava tirando a calcinha da Dani quando ela disse tô mestruada, não posso trepar só chupar. Eu virei ela de frente e mandei ela chupar. Ela na hora reclamou dizendo que queria ver também os 2 trepando. Foi quando o Cris disse:
- Gostou de sentir meu dedo no seu rabo?
Diguinho disse: – é muito gostoso, depois quero de novo.
Nisso o Cris mandou ele ficar de 4 no sofá pra tentar comer o rabo do Diguinho, que no começo reclamou dizendo que era ele 1º. O Cris então falou:
- Como vc vai comer meu rabo com a rola mole, vc já gozou agora é minha vez.
Ee empurrando ele de volta pro sofá foi ficando atraz e segurando na cintura do Diguinho começou a passar a rola no rego do Diguinho.
Nessa hora eu comecei a gozar na boca da Dani que se engasgou e reclamou dizendo que não era pra gozar na boca dela. E saiu falando que ia lavar a boca.
Eu nem liguei, voltei a presta atenção nos 2 que já estavam se beijando de novo. Foi ai que o Diguinho falou.
- se doer vc para viu.
O Cris então disse: – Pode deixar quer vou meter bem devagar quando vc sentir já entrou.
Foi virando ele de costas e beijando sua orelha e pescoço deu uma lambida no cuzinho dele e botou a rola bem na portinha, e começou a enfiar a cabeça da rola. E falou pro Diguinho.
- Faz igual vc fez com meu dedo, fica piscando ele que ele relaxa.
Na verdade o Diguinho tava era gostando, pois começou a rebolar e empurrar a bunda pra traz, parecia até que já tinha dado o rabo antes (ele disse que era virgem, nunca tinha dado antes).
Nisso eu já fora de controle dei a volta e entrei no quartinho, já com a rola dura e pra fora da bermuda. Eles não me viram entrar e continuaram a trepada.
Foi ai que vi que a rola do Cris já tava quase toda dentro do cuzinho virgem do Diguinho.
Que só fazia gemer e rebolar na rola. Cris foi metendo mais e mais até que o Diguinho disse.
- Já entrou tudo? – Tô sentindo seu pau todinho dentro do meu rabo, vai mete que ta gostoso não para que já to com a rola dura de novo.
E começou a rebolar e gemer dizendo comi não era isso que vc queria. Não para mete que quero gozar com essa rola na minha bunda e se masturbando e rebolando gozou de novo já pedindo pra que o Cris gozar dentro.
Foi quando eu cheguei por traz do Cris e dei uma pinada no rabo dele.
Quando ele me viu ficou branco quase que tirou a rola do rabo do Diguinho. Como o Diguinho tava com o olhos fechados e virado pra parede não me viu atraz do Cris. Que ficou ao mesmo tempo comendo e sendo sarrado por mim.
Quando o Diguinho anunciou que ia gozar mandou o Cris meter mais. ? Vai mete cara mete, não para que eu to gozandooooooooooooo, ai como é bom isso.
O Cris não parava de meter mesmo o depois que o Diguinho disse que já tinha gozado. Ele falou agora espera que eu vou gozar tb. E deu umas 5 estocadas mais forte e gozou deitando em cima do Diguinho sem tirar a rola do rabo dele.
Que reclamando falou. ? Sai cara vc já comeu e agora se vc não me der vou te encher de porrada.
E empurrando ele se virou e me viu batendo uma em pé no quarto.
Ele ficou apavorado e pediu. ? G não fala pra ninguém, eu faço o que vc quizer.
- Foi só esta vez, nunca dei o rabo ele foi o 1º.
Eu como era mais velho que eles, disse: – eu quero comer tb ou vou falar pro seu irmão Cris que vc é viado e pra seu pai Diguinho que vc tava dando o rabo pro Cris.
Claro que não ia falar nada, só eu que ia sair perdendo. Afinal adoro um rabinho novo e guloso por rola. Mandei logo eles se levantarem e disse. – Diguinho fica vendo se não vem ninguém que vou comer o Cris.
O Cris nem falou nada foi logo ficando de 4 e só fez pedir pra mim meter devagar pois minha rola era mais grossa que a do Diguinho e só tinha dado pra ele umas 5 vezes.
Eu então disse. ? Fica bem quietinho que quero comer o cuzinho do maior pegador das meninas kkkkkk. Se seu irmão descobre tu ta morto.
Então virei pro Diguinho e disse. Vem da uma chupadinha pra ficar melado e depois uma lambidinha no cuzinho dele.
Ele então mesmo reclamando deu uma chupada e depois melou o rabo do Cris todo. Foi ai que eu encostei a cabeça da rola na portinha do cuzinho do Cris e fui colocando bem devagarinho botando e tirando, já tinha muita experiência em comer um cuzinho (já comia a 3 anos o Elias).
O Diguinho se afastou e ficou de longe olhando eu aos poucos ia metendo a rola no rabo do Cris , e o Diguinho disse. ? Porra G vc ta metendo tão gostoso nele que eu já to de pau duro de novo e começou a se masturba (adolecente é foda fica direto com a rola dura) olhando pra gente.
Nessa hora o Cris começou a rebolar e ficar mordendo a minha rola quando e ia botando e tirando do rabo (não tem coisa melhor que um cuzinho piscando quando vc mete e tira a rola). Eu com um tesão danado comecei a meter mais rápido pois ele já tinha se acostumado com minha rola e falei.
- Que rabinho gostoso vc tem Cris, quero comer mais vezes ele. Vai rebola gostoso vai eu sei que vc ta gostando.
Ele então se soltou de vez e começou a gemer e pedir mais rola que tava gostoso sentir minha rola entrando e saindo que eu tinha um pau muito gostoso e que queria dar o rabo pra mim sempre.
O Diguinho tava já bem pertinho da gente olhando a rola entra e sai do cuzinho dele que até esqueceu de ficar vigiando a porta. Foi ai que a Dani entrou no quartinho e viu eu engatado metendo no rabo do Cris e falou.
- Diguinho bota sua rola na boca desse viadinho que El gosta.
- Diguinho mais que dipresa ficou do lado do Cris e mandou ele chupa. ? Vai Cris chupa vai.
O Cris começou a chupar e falar que era bom rola no rabo e sem eu menos espera anunciou que tava gozando pelo rabo a primeira vez e esporou o sofá todo.   
Eu segurei forte no quadril dele pra ele não se afastar e meti mais um pouco e enchi o rabinho dele de gozo, falando.
- Cris seu cuzinho é uma delicia vou querer comer mais.
E virei pra Dani e falei. ? Não quer experimentar tb?
Ela disse que doía muito e o Cris já tinha tentado comer ela uma vez antes dela pegar ele de 4 na cama com o primo comendo ele.
Assim que minha rola foi amolecendo eu fui tirando e já falei logo pra todos que era um segredo e ninguém podia saber.
Dani foi embora e eu ainda fiquei vendo o Diguinho comer o rabo do Cris todo melado de gozo.
Depois desse dia ainda comi o Cris na casa dele e quase comi o Diguinho mais o Elias apareceu bem na hora e os 2 começaram a brigar e eu tive que deixar o cuzinho do Diguinho pra depois, mais acabei comendo o pai dele. Que viu eu metendo no Elias e depois pegou o Diguinho me chupando e acabou se revelando um coroa doido por rola como ele mesmo disse depois.
Mais essa eu conto depois.
Abrção pra todos.

Fudi aquela ninfeta gostosa.

O que eu irei relatar aconteceu de verdade comigo. Acredite se quiser. Meu nome é Erick, tenho 26 anos, sou casado e tenho um filho de 2 anos. Sou alto, 1,96m, tenho os olhos azuis, uso óculos e aparelho. Minha fisionomia é um corpo peludinho.
Isso aconteceu há 1 1no e meio. Eu era professor de ensino fundamental. Eu lecionava numa escola de tempo integral de muita qualidade. Eu era o professor de português das turmas de 6º a 9º. ano. A escola não possuía muitos alunos. Tinha ao todo mais de 220 distribuídos entre maternal e 9º. ano. as turmas que eu ministravam eram pequenas. A escola era no mato. Possuía duas partes, o ginásio e o primário. No ginásio, eram três blocos. Dois com dois andares, onde eram as salas de aula, que eram próximo um ao outro, unidos no segundo andar por uma passagem e uma rampa localizada entre eles. o terceiro bloco era um pouco mais distante, onde ficavam a sala dos professores, orientação. Esse só possuía um andar. Banheirões masculino e feminino com boxes para tomar banho. E uma quadra grande, além de áreas verdes em toda a escola.
A escola possuía muitos eventos como dia das crianças (os alunos iam prum clube e lá tomavam banho de piscina e a escola promovia atividades) e tantos outros.

Era o acampamento da escola, que consistia de dois dias sem aula, em que o aluno dormia na escola, ocorria nas duas últimas semanas do ano letivo. As salas de aula eram utilizadas para os alunos dormirem e eram divididos em meninos e meninas e separavam os menores dos maiores. Eu era responsável pelo dormitório masculino do 7 ao 9 ano.
O dia foi tranquilo, nós nos divertimos muito, jogamos bola com os alunos. Tudo estava ótimo. Tomei banho de piscina, rimos bastante.
À noite, tinham poucas coisas a fazer, já havia chegado as 22h00 e eram horas de dormir. Todos os alunos foram pras salas e eu fui pra biblioteca, onde era o dormitório masculino do 7 ao 9 ano. O local era grande e podia abrigar a todos os alunos. Eu tinha que supervisionar o local pra ver se todos já dormiam.
Quando todos dormiam, até os outros professores que deviam estar supervisionando, eu desci a rampa e ia ao bebedouro que havia próximo à rampa. A escola possuía uma construção à parte que era ligada à rampa que havia entre os dois blocos das salas de aula, sendo em cima a biblioteca/auditório e embaixo uma sala grande, mas quase inutilizada, bem grande, maior que a biblioteca, porém não possuía ar condicionado. Eu estava bebendo água, só estava eu acordado, os dois eram em forma de meia lua.
Ouço algo se movendo próximo de onde eu estava. Eu estava próximo à rampa e próximo à sala de vídeo, que era mais baixo em relação aos blocos e atrás da rampa havia um barranquinho . Eu fui olhar e vi. Era Monique, uma aluna do 7º. ano, 16 anos; Já havia repetido diversas vezes, além de ser uma ninfeta gostosa pra caralho. Tinha um bundão gostoso, tinha um peitão, era um mulherão, perfeita, mulher morena, baixa, pele morena. Um espetáculo. Eu a vi fumando e bebendo cerveja. Apareci diante dela. Ela disse:
- Psor Erick!
- Larga esse charuto.
- Que é? Quer mandar em mim?
- Estou pedindo, solta esse charuto.
- Não solto.
Eu percebi que ela não iria soltar e eu não queria me estressar. Lavei as mãos.
- Tá. Tudo bem.
- Quer um pouco? – Disse ela, me extendendo a cerveja.
- Não.
- Qual é? Bebe!
- Não vou beber! Eu não quero!
- Quer sim! Agora bebe!
Tomei aquela lata da mão dela e tomei uma golada. Eu tava precisando tomar algo, estava com muito estresse. Minha mulher e eu discutíamos e ela havia tido nosso bebê. Eu tinha de trabalhar cada vez mais, pois tinha que pagar as dívidas e ainda comprar as coisas pro meu filho. Eu só queria beber e afogar as mágoas.
Ela tirou o cigarro da boca e me ofereceu. Eu aceitei e dei uma tragada no cigarro. Ela tomou da minha boca e tragava e foi assim, alternando entre um e outro. Depois de um tempo assim, eu disse:
- Bora aqui pra dentro da sala, se nos pegarem aqui, estaremos fritos. Principalmente eu.
Eu estava com um molho de chaves e eu peguei a chave que abria o salão. Eu abri a porta e entramos. Eu abri a chave geral e liguei alguns interruptores. Aquela sala gigante estava vazia, somente com algumas cadeiras empilhadas. Liguei algumas luzes e os ventiladores de teto. Ali estava muito abafado. À luz, finalmente percebi como ela estava: Um MICRO-short que só servia pra tapar a buceta, um top bem curto, mostrando o corpo perfeito e que ressaltava os melões dela. Ela ainda estava com uma bolsa
Ela se escorou na parede e tragava o cigarro. Ela estendeu o cigarro e eu peguei das mãos dela. Dei uma tragada da boa. Ela disse pra eu sentar do lado dela. Estava muito quente ali.
- Eu vou desligar algumas lampadas, só vou deixar essa daqui acesa. – Apontei pra que ficava acima de nós. Desliguei as outras na chave geral. A sala era uma meia lua grande.
Eu me sentei ao lado dela e fumei mais um pouco. Continuava abafado o local. Eu estava morrendo de calor e ela se abanava.
Ela disse que eu podia tirar a camisa, pra ela não havia problema. Eu tirei a camisa que eu usava, fazia muito calor ali e eu estava pingando de suor. Ela me deu uma cerveja que tinha na bolsa e pegou uma pra ela também.
- Saúde – Demos um toque. Nós demos um gole.
- Esse acampamento é muito chato. Não tem nada de interessante pra fazer.
- E eu ainda tenho que supervisionar os garotos.
Eu me escorei na parede. Eu estava cansado, mas não dormi. Ela se levantou e desligou o interruptor da luz. Ela tirou o top e tirou o shortinho. Ficou somente com uma calcinha fio-dental e um sutiã que eu não sabia a cor, estava escuro.
- Me fode.
- O quê?
Ela sentou cima de mim, ficando bem em cima do meu pau que estava ficando duro.
- É isso mesmo, me fode todinha – E começou a rebolar ao redor do meu pau que já estava duro que nem pedra.
- Eu não posso. Eu sou casado.
- Qual é? – Ela rebolava gostoso no meu pau. – Tu tá com vontade de me fuder todinha.
Ela tirou o sutiã e o jogou no chão longe. Eu tava cheio de tesão, mas eu não podia fazer aquilo. Ela abriu o botão da minha calça e o zíper. Eu fiz ela levantar e ela puxou a minha calça. Eu ainda tentei puxar de volta, mas na verdade eu queria aquilo. Eu fiquei somente de samba-canção. Ela jogou a calça do outro lado da sala. Ela disse:
- Relaxa. Eu sei que o senhor tá morrendo de vontade de me fuder.. To-di-nha. – Ela voltou a ficar em cima de mim e tornou a rebolar em cima do meu pau que estava duro que nem rocha.
Eu estava sentindo tanto prazer naquela hora. Eu estava suado, ofegante de suor. Eu então parei de me escorar na parede e me agarrei a ela.
- Já que você. Então vai.
Nos beijamos e eu passava a mão por todo o seu corpo delicioso. Ela era baixinha, tinha 1,59m. Eu cheguei na sua calcinha e rasguei ela com força.
- Ai! Selvagem.
Eu beijava seu pescoço e tocava seu corpo todo. Beijava-a docemente, seu cangote. Lambia e mordia seus seios grandes. Passava a mão pela sua bunda macia. Aquilo estava sendo ótimo. Ela se levantou e tirou a minha cueca samba-canção. Quando ela tirou a cueca, minha pica saltou.
- Caraca. Sua pica é gigantesca – Ela tem uns 18cm, que eu acho suficiente. – … Agora, me fode…
Eu puxei-a pra perto de mim e beijei-a incessantemente. Eu estava deitado e ela em cima de mim. Nós trocamos de posição pra que nós pudéssemos fazer um frango assado. Eu meti levemente minha pica na buceta dela, era bem gostosinha. Ela gemeu gostoso e deu gritinhos. Eu metia e tirava. Ela gemia. Quando já havia penetrado tudo. Comecei a bombear levemente. Ela gritava baixinho e dizia:
- Mais forte! Vai!… Me fode!… Fode minha bucetinha! – Eu metia forte naquela bucetinha gostosa e bem forte. Ela gritava gostoso.
Eu estava com tesão por ela e queria lhe dominar toda ali. Eu bombeava com força e segurava as pernas dela. Ela era linda, gostosa. Eu parei de bombear e me abaixei para beijá-la intensamente. Eu tirei minha pica da buceta dela. Eu fiquei em cima, fazendo um papai e mamãe gostoso e beijava sua boca e beijava sua boca e seu pescoço, queria explorar seu corpo todo. Depois trocamos a posição e ela montou em cima de mim. Ela gemia, eu estava todo suado – pelo calor e por tudo que estávamos fazendo. Eu bombeava forte. Ela pedia mais e eu colocava mais força. Ela gritava e gemia deliciosamente. Ela teve um orgasmo ali e gozou, eu disse que ia gozar e expeli tudo, caindo minha porra no chão.
Eu estava suado e ofegante. aquela tinha sido a melhor transa da minha vida. Eu peguei a minha cueca e me limpei com ela. Ela se limpou e se deitou ao meu lado e colocou a sua cabeça no meu ombro. Eu coloquei meu braço pra ela apoiar a cabeça e a abracei. Dormimos de conchinha. Eu abraçava seu corpo todo. Acordamos no outro dia e continuamos abraçados, aproveitando aquilo. Parecia um sonho, mas não era.
Eu me vesti e esperei ela se vestir.
- Vamos, os alunos já vão acordar.
- Tá. – Ela se levantou e pegou as roupas dela. – Você rasgou a minha calcinha.
- Mas foi bom – Eu dei uma pausa – Bom não. Foi maravilhoso. A melhor noite da minha vida.
- A minha também.
Eu peguei minha calça que estava jogada do outro lado da sala. Nos vestimos e saímos dali, não sem antes nos beijarmos intensamente. Eu estava louco por ela. Ela era linda, não conseguia parar de pensar nela. Eu estava apaixonado por ela.
Ela me deu a calcinha rasgada pra mim como lembrança. Até hoje eu guardo aquela calcinha como recordação daquela noite.
Uma semana depois acabaram as aulas e ela havia reprovado. Ela saiu do colégio, não sem antes me dar o número dela e um bilhetinho dizendo: “Sabe que eu nunca esqueci aquela noite. Só espero pela próxima vez. Me liga.”
Ela morava no mesmo bairro que eu. Eu a encontrava na avenida principal e íamos a um motel próximo dali. E tem sido assim desde então. Eu trabalho em três escolas atualmente. Eu não amo mais minha mulher, nem mais transo com ela. Só estou junto dela por nosso filho. Eu amo tanto a Monique e ela diz que é doida por mim e que não deixa de pensar em mim.
Outra hora eu conto outras noites nossas. Tem uma vez que transamos por horas e outra vez na banheira, mas eu conto uma próxima vez. Espero que aprovem.

Perdi a virgindade com meu irmão gêmeo.

Oi sou Manoela tenho 20 anos,sou loira e tenho olhos claro, seios médios e bunda meio grande, 1.65 de altura e 58 kg.Tenho um irmão gêmeo e somos muito apegados, super amigos.Ele é alto, mais alto que eu, acho que tem 1.80 de altura e não faço ideia do peso dele mas ele é magro e tem um corpo definido.
Tudo aconteceu há 4 anos no dia em que os nossos pais viajaram, nós adoramos a viajem deles porque ficariamos sozinhos a noite toda para jogar games! Já era tarde e eu estava cheia de sono,falei para o maninho que ia dormir dei um abraço super forte nele como o de costume e subi para o meu quarto.Estava trocando de roupa quando vi meu irmão me espionando e fingi não ter isto para não deixar ele sem graça, vesti uma camisola transparente curta e fui dormir.
De manhã ele chegou no meu quarto e pulou em cima da minha cama eu fingi q estava dormindo ai começou a tentar me acordar me mexendo para um lado e pro outro então ele reparou que meu peito tinha saído da camisola já que tinha um grande decote e ele estava em cima de mim e logo senti seu pau endurecendo e logo fingi acordar e dei bom dia e ele só olhando ai eu disse “ops” e ele rio da situação.
Mais tarde eu estava no colo dele como o de costume e percebemos que os games já estavam enjoando ai ele me propôs um jogo onde ele tacaria a borracha com o meu nome em cima e o dele em baixo, o nome que ficasse em cima teria que fazer o que o outro mandar e assim era o jogo, eu aceitei na hora, então começamos primeiro deu ele me mandar fazer algo e ele pediu para tirar a camisola e eu tirei para respeitar o jogo né rs, depois caiu a meu favor e mandei ele tirar a camisa e tirou-a, caiu a meu favor de novo fiquei zombando ele porque estava vencendo então mandei ele ficar só de cueca e continuava no colo dele percebendo a exitação dele sai de seu colo, depois caiu a favor dele e ele mandou eu pagar um boquete pra ele e eu fiquei super sem jeito pq era meu irmão mas fiz o combinado paguei um belo de um boquete e ele chegou a gozar em minha boquinha, falei a ele agora você tem que me chupar todinha e ele fez chupou meus seios e minha bucetinha ele lambia girava ia de cima para baixo enfiava a lingua lá dentro e sso me deixava muito exitada e gozei na cara dele rs, ai ele meteu em mim e a pica dele é muito grande e grossa e eu ainda era virgem sofri um pouco mais foi muito bom depois ele me perguntou onde eu queria que ele gozasse ai eu disse dentro de mim e falei q tomo remedio ai ele disse sem chances! ai eu disse então no peito e ele gozou várias vezes com as nossas brincadeiras. Fizemos essas coisas várias vezes e se vcs quiserem eu posso contar é meu primeiro conto então acho que não fui muito declarativa com as palavras mais pesso q vcs comentem beijos da MANU..E sou eu na fotoo

A descoberta “a saga”

Bom meu nome e volverine, esse e meu primeiro conto, tenho 30 anos e o que vou relatar e um fato veridico e espero ter seguidores em meus contos, pois tenhos varias historias quentes para dividir com os frequentadores desse site, bom vamos lá. tenho 30 anos, 1,80m, branco, bonito, casado a 7 anos com uma linda mulher “suellen” morena 23 anos coxas grossas e bunda grande e empinada, dessas mulheres que chamam a atençao quando chega a qualquer lugar, quando a conheci tinha apenas 16 anos, virgem, de familia religiosa, o pai não deixava namorar, não sabia ele que ela tinha fogo entre as pernas,estudava-mos juntos e me encantei pois ela era muito gostosa, a pedi em namoro e ela aceitou, marcamos um dia a noite no centro de nossa cidade, o lugar era muito povoado e ela me sugeriu irmos para um lugar mais escuro o que prontamente atendi, fomos para um lugar bem escuro proximo a linha ferrea nos beijamos e logo ela estava louca, botava a mão nas minhas calças, me chupava e se despia, não acreditava naquilo, uma garota da igreja daquele geito na minha frente, não acreditava, mais entrei no clima, tava frio, tirei meu casaco, forrei no chao botei ela deitada e cai de boca naquela boceta gostosa, era grande já toda molhadinha, ela gemendo me pedinho para chupar o que fiz com muita dedicação ate que ela não aguentou e gozou na minha boca, me pus ao seu lado e tirei meu pau duro e pedi que ela o chupasse, com muita maestria minha futura esposa o fez, me chupando como uma vagabunda, algumas pessoas passavam pelo lugar e ficavam olhando e ela nem se preocupava, botei ela deitada novamente, mirei meu pau em sua boceta e comecei a forçar em sua bucetinha, mais ela me interrompeu e me disse que era virgem e que não queria que fosse ali, fomos ate minha casa, pois estava sozinho, meus pais trabalhavam durante a semana e eu ficava em casa só, chegamos e logo começamos as preliminares,chupei ela toda, buceta, cu, seios e botei a minha futura mulher para chupar minha rola novamente, o que a cachorra fazia muito bem, botei ela de quatro mirei minha rola na buceta dela e soquei de uma vez só, a puta gemeu gostoso, dizia que tava doendo mais não pedia para parar pelo contrario, pedia mais e mais, não acreditava no que estava acontecendo aquela garota dos meus sonhos, muito gostosa de quatro para minha gemendo pedindo minha pica, não demorou e la gozou denovo, me deitei e pedi para que ela sentasse em meu pau de frente, pois ela tinha os seios muito duros e queria fude-la chupando seus seios, a puta cavalgava com força, com muita vontade, a cama quase quebrava de tanto tesão que aquela mulher sentia, era muito tesão reprimido, eram muitas fantasias sendo colocadas em pratica naquele momento, ela parecia uma profissional, senti meu pau se melar e ela gritava de tesão, estava gozando denovo, quando olhei para aquela cara de pura não aguentei tirei meu pau daquela buceta gostosa e gozei um litro de porra, que escorreram pelo seu corpo, rosto, cabelo, seios, coxas, foi otimo, mais esse conto foi só a apresentação pois ela tinha 16 anos e eu 23, apesar de ter tirado sua virgindade não imaginaria que 7 anos depois descobriria coisas impressionantes dela, achava que ela era santa e que nunca me trairia, apesar desse dia de puta dela achei que ela não se comportaria dessa maneira novamente com outra pessoa, puro engano meu, e o pior e que ela não sabe que sei das putarias dela, e pior ainda que eu passei a sentir mais desejo nela depois de descobrir certos fatos, pois tenho um fraco, adoro putas, vagabundas, piranhas e descobri depois de 7 anos que ela e tudo isso e mais um pouco, mais nunca deixei ela perceber isso, por isso que nos damos bem, esse conto foi longo mais os proximos voces saberam quem e minha adoravel garotinha de igreja “suellen”.

mandem emai´s!

A bunda ardeu, doeu, mas gostei muito.

Bem, eu sou a Judite e quero relatar uma das minhas aventuras. Essa é, sem dúvida, bem interessante.
A amizade entre as minhas amigas sempre forte, franca e livre.
Uma delas, a Maria Quitéria, certo dia, começou a divulgar uma pequena e restrita festinha em sua residência e ao nos entregar um simples convite, além da data, da hora e do local, uma frase dizia: Venha para a minha festa, tragam suas energias e brinquedos para uma longa noite.
Ao passar dos dias, ficamos sabendo que a festinha realmente era para poucas pessoas e que o que não faltaria era bebida e sacanagem.
Conhecendo Maria Quitéria como eu conhecia, intimamente inclusive, sabia que seria algo muito interessante e que essa tal festinha eu não poderia perder de forma algum. Ao encontrar Sheila, a qual também era convidada, combinamos para irmos juntas e claro, fizemos alguns comentários sobre a expectativa que estava sendo criada sobre o assunto.
Chegou o dia da festinha, eu tomei um delicioso banho, coloquei uma roupa perfeita para a ocasião, que mesclava saia média e justa, mini-blusa e um salto dos mais altos que eu tenho. Coloquei uma langerie nova que até então nem tinha usado, linda mesmo.
Encontrei com Sheila e fomos para a festinha.
Ao chegar, fomos recebidas por Maria Quitéria, que abriu um lindo sorriso no rosto e disse: estava mos esperando vocês.
Ao entrarmos, encontramos mais duas ou três mulheres e todas estavam bem vestidas e já tomando alguma bebida. A música embalava o início da festa e aos poucos fomos fazendo novas amizades, mas na verdade, não tínhamos nem noção do que estava por vir.
Logo, Maria Quitéria abaixou a música e disse que teríamos um sorteio e que a festa, após o sorteio, iria começar. Todas já tínhamos bebido um pouco e o embalo já era grande. Maria Quitéria foi passando com um copo com um papel para cada menina da festa. Achei estranho porque a Maria Quitéria trouxe primeiro para mim e depois que tirei o papel, ela pediu licença e rapidamente saiu da sala e voltou, dando continuidade ao sorteio.
Só poderíamos abrir depois que todas estivessem com o papel na mão.
No fim do sorteio, a minha amiga Maria Quitéria, a dona da festa, que foi a última a tirar o bilhetinho do copo, abriu o seu papel e falou em voz alta: Controle da situação e Plug Anal.
Todas se assustaram e ela complementou dizendo: Cada papel tem duas tarefas e todas poderão e deverão cumpri-las por toda a noite.
A segunda menina abriu o papel e disse: Sexo Oral e Sem Limites. A terceira abriu e falou, depois a quarta.
A quinta menina a falar fui eu, que ao abrir, disse: Anal Total e Sem Limites.
Eu fiquei surpresa, pois Anal eu adoro e apenas fiquei preocupada com a segunda parte que dizia Sem Limites.
Todas anunciaram as suas tarefas e na seqüência, Maria Quitéria veio até mim e comentou: Você tirou um bilhete de um copo onde todos diziam a mesma coisa e essa noite, você será minha novamente.
Aí, entendi porque ela deixou rapidamente a sala, depois que tirei o bilhete, pois nesse momento ela pegou bilhetes novos. Por alguns minutos, Quitéria, ou Maria Quitéria como ela gosta de ser chamada, sumiu e quando apareceu, estava vestida com uma roupa bem sacana e disse, para todas ouvirem: Vamos dar início á festa?
Todas concordaram e cada uma foi se preparar. Duas foram ao banheiro, outras duas para um quarto e eu e Sheila, fomos para uma sala, onde nos trancamos.
Nesse momento, vi que eu não tinha trazido nada e que eu tinha esquecido o que dizia no convite, para levar energia e brinquedos.
Perguntei novamente para Sheila o que tinha no papel dela e ela disse: Anal e Serviçal. Ao voltar para a sala principal, Quitéria já tinha tirado a mesa de centro, deslocado o estofado e uma grande área estava livre e a disposição, bem no centro da sala e ao nosso lado, todas as mulheres vestidas com roupas sensuais e provocantes.
A dona da casa tomou a palavra e disse: Vamos então meninas, começar a nossa festinha e desde já, começam as surpresas, por favor meninos, entrem na sala.
Todas se assustaram e nesse instante, dois homens entraram na sala, os dois estavam apenas de cueca e máscaras. As meninas ficaram assustadas e riam ao mesmo tempo, uma encorajando a outra e todas com uma dose de álcool ingerida, entraram no clima e assim, tudo estava se tornando cada vez mais maluco.
Resumidamente, estávamos em seis mulheres e dois homens. Maria, a Quitéria, com um novo copo na mão disse: Vou tirar um papel de cada vez e nele estará escrito o nome de uma de vocês ou até mesmo o meu, essa pessoa irá para o centro e adaptaremos a situação conforme seu bilhete estiver especificando.
O primeiro papel trazia o nome de Sheila, a qual ficou chocada, pois não sabia o que iria acontecer direito, pois tudo era muito maluco e um suspense muito grande estava presente no ar. A dona da festa perguntou: O que diz o seu bilhete? E ela respondeu em poucas palavras: Anal e Serviçal. Maria Quitéria, linda e safada disse: Fará anal para todas verem e desde que seja da aprovação de todas, definir se quer que seja com homens ou mulheres e inclusive, quantos gostaria de sentir. Depois que você estiver satisfeita, será a nossa Serviçal da noite, ajudando a todos que precisarem de você.
Nesse momento, a Sheila disse: Um homem e uma mulher e na hora Quitéria, na coordenação da festa, disse: Não concordo, alguém concorda? E todas disseram não. Quitéria disse: Sugiro um homem e duas mulheres e todas já se manifestaram dizendo: Assim é melhor mesmo.
Sheila concordou e assim, pode escolher as três pessoas para irem ao centro com ela. Olhou para mim e o meu olhar sacana, a deixou com medo, não me escolhendo. Escolheu Carla, uma amiga nossa e Ivete, uma mulher que eu conheci naquela noite e o primeiro dos dois homens, já que eles não eram chamados por nome.
Sheila foi ao centro e Carla foi logo beijando seu corpo e começando a tirar proveito da situação. As demais meninas e o outro homem, ficaram em volta, olhando e buscando cada detalhe. Em 2 minutos, Sheila estava com um Plug muito grande enfiado no rabo, o qual foi tirado de uma grande bolsa, cheia de brinquedos que estava á disposição do todos. Sheila olhava para mim com aquele plug no rabo e ao mesmo tempo, levava tapas na bunda de Ivete, que por sinal, era linda.
O homem até o momento não fazia parte da brincadeira e as duas meninas estavam deixando Sheila louca de tezão. Após cinco minutos com o Plug no cu, Sheila ganhou um fôlego, após Ivete tirar o plug, mas em 5 segundos, o homem deu seu cacete para ela chupar, o qual era muito grande e com mais 5 segundos, Sheila ganhou um monte de creme amarelo na bunda, o que faria em poucos minutos, ela pedir e implorar para ser fodida.
Com tapas seguidas na bunda e no rosto, chupando aquele cacete Sheila foi entrando no clima e muitos plug´s entravam no seu cu, logo o homem subia na safada e arrombou ela sem dó, ela gritava de tesão e deu muito, muito mesmo.
Sheila foi fudida por uns trinta minutos e assim que bebeu toda a porra do homem, foi deixada de lado e sentou um pouco para respirar.
Cinco minutos mais tarde um novo sorteio foi feito e a sorteada foi uma mulher chamada Vanessa, também uma nova amizade minha, feita naquela noite. O papel dela dizia Sexo Oral e Plug Vaginal. Ela chupou os dois homens e mais duas mulheres e em 20 minutos estava com a boca toda lambuzada.
O terceiro sorteio foi Maria Quitéria a premiada e o papel dela dizia Anal e Vaginal. Para ela foram os dois homens e Sheila. Sheila colocou um monte de creme amarelo na sua buceta e no cu dela também e em 3 minutos, Quitéria se agitava no meio da sala implorando para a fuderem, pedia por favor e enfiava dois, três dedos na buceta. Sheila meteu um plug, acho que era o maior que tinha na caixa, acho até que era para se vingar do que Quitéria tinha feito com ela numa festinha anterior, e meteu tudo no cu dela e chupava sua buceta ao mesmo tempo. Fodeu ela por uns 10 minutos e Maria Quitéria estava extremamente obediente, fazia tudo o que Sheila pedia, qualquer posição e aceitava qualquer Plug. Aquele creme amarela e injusto, deixa a gente fora de controle e ninguém tem dó, eu é que sei. Depois de estar com o cu arregaçado, Quitéria ganhou dois cacetes, os quais eram muito grandes e os dois homens foderam ela por uns 40 minutos ainda e ela deve ter levado uns 30 ou 40 tapas de Sheila na cara.
Estava fora de controle e gozou muito. Maria Quitéria é safada demais e por isso, era a dona da festa. Com o cu totalmente arregaçado e uma buceta arrombada, ela respirou depois de tudo o que agüentou e disse, o que acharam meninas? Recebendo elogios de todas.
Minutos mais tarde foi o quarto sorteio e adivinhem? Sim, fui eu a premiada. A dona da casa, controlando a situação disse: Pessoal, essa adora foder e só quer dar o cu, já arrombei essa safada e ela tem uma energia que vocês não vão acreditar. Ele me deixou sem jeito e todas ali já sabiam que eu era safada mesmo. Falei para elas: Quero um homem e duas mulheres e Maria Quitéria disse: Para você, dois homens e duas mulheres.
Todo mundo de acordo, entrei no centro da sala, mais ou menos uns 30 minutos depois de acabaram com a Maria Quitéria, naquele mesmo local, todas já estavam embaladas novamente e então, nesse momento começou a minha participação na festa. Não pude escolher quais as mulheres que eu desejava, e Sheila e Quitéria se escalaram, me obrigando a aceitar, como eu sabia que dali eu sairia arrombada mesmo, concordei e fui logo abrindo as pernas.
Já de início, ganhei um forte tapa de Quitéria, bem no rosto e ela disse: Essa festa foi feita para você, por você e quero mostrar para todas o quanto você é vagabunda. Isso me deu um tezão incontrolável e ao mesmo tempo, Sheila empurrava muito creme amarelo para dentro de mim, meu cu estava cheio do creme e somando tudo isso, eu sabia que seriam horas maravilhosas que estavam pela frente. Sheila puxou meu cabelo para trás e Quitéria, enfiou um Plug médio no meu rabo, o creme amarelo tomava conta do meu cu e já estava dando efeito.
Quitéria e Sheila vestiram aquelas pintos de borracha e Quitéria pegou o maior de todos, era maior inclusive que o cacete dos dois homens.
Sheila me colocou de quatro no centro da sala e disse: Bundinha bem empinada ta, porque seu cu vai ser arrombado sem dó e se você cooperar, não vai doer nadinha.
Veio Primeiro Sheila e meteu no meu cu, fodeu por uns 2 minutos e deu lugar para um homem, que me fodeu de forma controlada por mais uns 5 minutos, depois veio o outro homem, tinha um pau grande e colocou devagar, depois que estava lá dentro, metia até o talo e eu gemia feito louca. Ao mesmo tempo, o outro homem já trouxe o seu cacetão e enfiou na minha boca e eu ganhava tapas na cara de Sheila e tapas na bunda do safado e estúpido que arrombava meu rabo.
Depois de uns 5 minutos passados, Maria Quitéria se aproximou e disse no meu ouvido: Tenho aqui o maior cacete que encontrei e vou colocar ele com jeitinho no seu cu ta, não se preocupe, foi bem delicada até então e na seqüência me chamou de vagabunda novamente e anunciou a todas: vou arrombar essa safada sem dó e vou faze-la chorar no pau. A safada começou a meter no meu cu e Sheila segurava meu rosto, sentada na minha frente e dizia pra mim: força minha amiga, força.
A Quitéria meteu aquele pau em mim por muito tempo, acho que deve ter levado uma hora mais ou menos com intervalos minúsculos, meteu, meteu e meteu, sempre com muita força. Eu não sentia mais minhas pernas direito, estava de quatro a mais de uma hora e até minhas costas doíam. Quando não estava mais agüentando de quatro, implorando inutilmente para Maria Quitéria parar, comecei a chorar e implorar para parar e então, a dona da festa saiu de cima de mim, tirando o enorme cacete de borracha de dentro de mim e disse: Falei para vocês que essa puta safada tinha energia? Aí, ela complementou dizendo: Sheila apóie o corpo dela no sofá e a mantenha nessa posição e aproveite e vende os olhos dela.
Sheila como era a Serviçal da noite vendou meus olhos e me deixou de joelhos no chão mais com a barriga no sofá, mas eu continuava de quatro. Pelo que senti, estavam em fila atrás de mim, pois a cada 2 ou 3 minutos, sentia um pau diferente entrando no meu rabo que nesse momento, coitado, já estava pedindo água. Me foderam, me foderam e me foderam até que depois de mais uns 30 minutos, os dois homens, um de cada vez, gozou na minha boca e eu tive que engolir tudo.
Levei mais uns bons tapas e ouvi Maria Quitéria dizendo: Pronto, essa ta bem fodida, está ganhou o que merecia, pode tirar a venda dos olhos e olhar para nós.
Quando tirei a venda dos olhos, os dois homens estavam em pé e todas as mulheres com pintos de borracha na langerie. Sheila sentou do meu lado no sofá e disse, você deu conta de todas sabia, pois quando fechamos os seus olhos, todas entraram no jogo e você virou a maior puta da noite. Todas olhavam para mim com cara de satisfação e eu estava super feliz com a situação. Estava arrombada mesmo e o meu, safado, ganhou o que queria.
Fiquei super surpresa quando soube e me assustei, mas como já tinha passado e eu nem mesmo sabia o que estava acontecendo enquanto estava de olhos vendados, adorei tudo, aprovei tudo e fiquei super feliz.
Deitei na cama no quarto de Quitéria, toda acabada e arrombada, esperando o próximo sorteio e acordei só no outro dia. Quando acordei pensei: Será que foi um sonho?´
Mas quando me mexi e a dor no meu cu apareceu, e assim eu sabia que nada tinha sido imaginário e que aquela putaria toda tinha mesmo acontecido.
Sheila ainda estava lá e me disse: Judite, você foi á atração da noite e foi á coisa mais louca que eu já vi e fiz.
Demorou um dia ou dois para parar de sentir dores no meu rabo, o qual estava literalmente arregaçado e arrombado.
Quitéria me deu um beijo na boca e agradeceu por eu ter vindo á festa, dizendo que a festa não teria sido a mesma se eu não tivesse marcado presença.
Espero que vocês tenham gostado dessa história
Beijo a todos.

                                

Primeira vez com o namorado

Oi meu nome é Karen,sou morena tenho olhos castanhos,um metro e meio mais ou menos.Tenho 17 anos

Bem, já faz 2 anos que eu namoro com um cara chamado de Mauricio,ele e loiro,tem olhos azuis,tem um metro e 70 mais ou menos.

Eu passei o ultimo fim de semana na casa dele,ele mora sozinho porque os pais trabalham foram.Meus pais iam viajar e eles conhecem e confiam no Mauricio então não se importaram que eu ficasse la com ele.

Era de noite ele estava deitado na cama ouvindo musica e eu estava mechendo no meu Facebook.Desliguei o PC e deitei no colo dele.Uns 15 minutos depois,senti uma coisa dura na minha cabeça,era a pica dele,parecia ser grande e grossa,fiquei na curiosidade para ver.Levantei e pedi ele pra ver,ele ficou um pouco tímido mais eu insisti,ele abaixou a causas de me mostrou.Nossa,nunca tinha visto uma pica tão grande e tão grossa,quem diria que meu namorado seria tão bem dotado.Não resisti e comecei a punhetar aquela pica gigante,ele falou um “ah” que me encheu de tesão,minha língua tava doida pra chupar aquele cabaço,ele falou:
-Vai,chupa
Comecei a chupar aquele cacete,mais não coube nem a metade.Ele deu sinal de que ia gozar,eu tirei o pau dele da boa e ele gozou na minha cara.Tirei minha roupa e fiquei de quatro na frente dele,mandando ele me foder todinha.Ele sem perder tempo também ficou pelado e enfiou aquele cabasso na minha buceta.Ele dava estocadas rápidas e fortes,sentir aquele cacete entrando e saindo em mim estava sendo maravilhoso.De repente ele tirou o pau da minha buceta e gozou nas minhas costas,ahh,sentir aquele liquido escorrendo por mim foi uma sensação maravilhosa.

Eu deitei ao lado dele,ele começou a mamar nos meus peitos,ele puxava o bico com os dentes.Foi uma sensação maravilhosa,principalmente porque eu tenho sensibilidade nos peitos.Ele parou de repente,se levantou e começou a lamber minha buceta,uhh,sentir aquela língua passando pela minha buceta todinha foi maravilhoso,ele lambeu minha xaninha ate que eu gozei na cara dele.

Ainda não satisfeita voltei a ficar de quatro mandei ele arrombar o meu cu,que ainda era virgem.Demorou um pouco pra ele conseguir penetrar,ele cuspiu no pau,e meteu no meu cuzinho de uma vez só.Eu dei um grito de dor,ele se assustou então tava parando,segurei ele e mandei ele não parar.Ele continuou metendo no meu cu,eu gemia alto e ao mesmo tempo mandava ele não parar.Já não aguentando mais ficar de quatro,eu sentei no colo dele e fiquei indo e vindo nele,ele gemia de prazer,dai eu parei e dei um longo beijo nele enquanto arranhava suas costas,mais no meio do beijo ele alertou que ia gozar,me levantei rápido e ele gozou minha barriga toda.
Nos deitamos um ao lado do outro,ele susurrou no meu ouvido:
-Te amo muito,quero você pro resto da minha vida.
E depois mordeu minha orelha de leve,eu me arrepiei todinha.

Só depois fomos lembrar que estávamos todos lambuzados de gozo e fomos tomar banho,eu ensaboei ele e ele me ensaboou.Depois nos fomos dormir.

Espero que tenham gostado,bjuss