Gozei na boca da minha sogra

Meu nome é matheus, sou negro 178mt, 27 anos, sou casado a 4 anos e de um ano pra cá, descobrí que meu sogro trai minha sogra, num fim de semana depos de discutir com o marido ela resolvel desabafar comigo, (pois agente conversava frequentemente), disse que nãoaguentava mais ser traida e me mostrou uma cartela de viagra que ele comprou pra usar com a amante, eu disse pra ela que ela não merecia sofrer daquele jeito, ela se chama maria é morena baixinha,bumbum gg e seios medio, tem as pernas bem torneada, convidei ela para passar um fim de semana em minha casa pra gente conversar. Mau podia esperar para ver ela dormindo em minha casa, ela aceitou o convite, e já no primeiro dia dela lá em casa eu entrei no quarto de ospede onde ela estava deitada, fecher a porta e sentei na cama onde ela estava deitada começei a alisar os cabelo dela ela acordou assustada eu disse que estava ali para conversar, então ela perguntou pela carla (minha esposa) disse que ela estava dormindo. Então a maria começou a dizer que estava sofrendo que não dormia com o esposo ha 3 meses, eu me aproximei e disse que ela era linda e que tinha um corpo maravilhoso olhando os seios dela, eu estava tremendo mais não resisti e a segurei pela cintura e a olhei nos olhos, levemente desci a mão ate aquele bundão e a beijei, ela se afastou respirando fundo e sentou na cama eu me aproximei dela e começei a alizar a nuca dela, ela não resistiu e tirou meu pau pra fora e começou a chupar levemente e alizando a xana gemia no cio depois de invernizar a vara coloquei ela de quatro e enfiei gostoso naquela buceta quente e molhada ela gozou rapidinho e puchou minha vara e chupou com força até que eu lançei um jato de leite naquela boca carnuda, ela chupava tudinho não deixou nem uma gotinha de fora, realizei meu desejo e até hoje agente se encontra em motel ela é toda durinha, muito gostosa. Acredite não é conto é verdade se quiser eu envio fotos da nossa transa.         
                                

Estrupo na fazenda

Eu mim chamo Carla tenho 1,63 de altura tenho um corpo bem defenido , na época do fato que ocorreu eu tinha 25 anos agora estou com 30 anos tenho cabelos liso na cor preto na altura quase do bumbum   .
Eu tinha um noivo chamado Leandro ele era e ainda é um gato ,ele é do tipo malhado ,da cor morena pois eu adoro homens morenos, pois bem ele iria passar um final de semana na fazenda da tia dele e mim convidou para ir junto mais uma vez com ele eu aceitei na hora o convite pois o lugar era maravilhoso e fora isso nos transávamos a vontade na beira do rio ou dentro da mata era muito gostoso nossas fodas ao ar livre solto na natureza como se fosse Tarzan e Jane .
Chegamos na fazenda la pelas 5 :00 horas da tarde desarrumamos as mochilas e ficamos por perto da fazenda mesmo, pois estávamos cansados da viagem e ainda teria o sábado e o domingo para nossas aventuras na fazenda .
No outro dia la pelas 9:00 da manha fomos para o rio próximo da fazenda eu o Leandro a tia e o tio dele e mais uns dois casais do amigos do tio do leandro . chegando ao rio ficamos proximos de todos pois esta sempre foi nossa tática ficamos jogando conversa fora ate umas 11:00 horas e fomos saindo de mansinho para ninguém percebesse a nossa fugidinha so que o tio do leandro foi atrás de nos e disse :

_¬—-Eu sei que vocês gostam de ficar a vontade, mas tomem cuidado pois tem três fugitivos da cadeia da cidade que já foram vistos próximos as fazendas nestas localidades
O Leandro disse :fique frio tio não se preocupe
Eu e o Leandro fomos para dentro da mata pois nos sempre fazíamos isso andamos uns 20 :minutos pois nos não queríamos que por ventura algum dos outros casais nos vissem   este foi o nosso erro.
.chegando próximo ao uma clareira no meio do mato forramos uma toalha de banho deitamos e começamos a sacanagem, o Leandro colocou os meus seios para fora e começou a mamar gostoso eu já estava com minha xoxota pingando de tesão , ele continuo chupando meus seus e foi enfiando um dedo e depois o outro quando chegou no terceiro dedo ele começou a acelerar eu fui ao delírio com a siririca dele pois adoro uma siririca feita pelo meu noivo gozei gostoso nos dedos do meu safado .
Achamos melhor partimos para uma transa gostosa tiramos toda a roupa ele veio para cima de minha xoxota e começou a chupar e eu é claro agarrei em seu cacete e comecei a mamar gostoso ,nem percebemos os três meliantes se aproximarem so ouvimos um deles dizer .
—que festa boa em camarada ,nos cansamos de assistir e queremos participar também
Eu e meu noivo ficamos estáticos com o aparecimento daqueles três homens maus encarados,meu noivo tentou levantar e o mais forte dos tRES meliante disse
—fique aonde estar pois nos não queremos fazer mau algum em vocês ,so queremos nos divertir com sua gata por umas três horinhas então é melhor obedecer pois senão você também pode cair na brincadeira servindo de mulherzinha para mim e para os meus parceiro .
Ele ordenou ao baixinho do trio para amarrar o meu noivo ,eu estava chorando muito mais sabia que não tinha como fugir daquela situação pois dois deles estavam com as armas em mãos e sabia que meu noivo nada poderia fazer se ele reagisse com certeza iria apanhar muito e seria abusado sexualmente pelos meliantes .
Amarraram meu noivo e mim puxaram para um tronco de arvore ,eu chorando e pedindo para não fazerem isso comigo mais nada adiantava ,colocaram as picas para fora e mandaram eu chupar e eu não queria obedecer o mais forte que parecia comandar falou .
Se você não for boazinha conosco voce vai apanhar e seu namorado vai morrer, é isso que você deseja ,vamos putinha chupar logo nossas picas eu sei que você gosta de uma chupeta
Eu olhei para o meu noivo ele com olhar triste balançou a cabeça como se dissesse tudo bem faça
Comecei a chupar as rolas dos meliantes alternado de um para o outro cinco minutos depois o que parecia ser o chefe do trio disse que iria gozar, e disse para mim engoli tudo senão eu e meu noivo iríamos cair na porrada quando o meliante gozou eu tive que segurar a ânsia de vomito e engoli toda a esperma do bandido ,o chefe do bando mandou eu levantar e disse vai baixinho voce pode ser o primeiro na xoxota pois o que eu quero mesmo é comer o cu desta safada , eu não tinha mais lagrimas para chorar so queria que acabasse logo com o que estava acontecendo ,o baixinho mandou eu ficar de quatro eu obedeci ele começou a enfiar sua pica em minha xoxota aos poucos ,quando entrou toda a pica dele, ele começou a acelerar rápido sem largar dos meus cabelos ,ele era um cara rude muito grosso mesmo, o que era o mais magro de todos ,colocou o pau dele em minha boca e mandou eu chupar eu fiquei nesta situação chupando um e recebendo a vara do outro em minha xoxota so tinha visto uma cena desta so em filmes pornô não estava acreditando que isso estivesse acontecendo logo comigo , não conseguia olhar para o lugar aonde estava amarrado o meu noivo ,pois com a lembrança do filme eu fiquei com tezão e estava começando a gostar do que estava acontecendo eu estava mim segurando para não gemer e nem começar a gritar do prazer que eu já estava começando a sentir ,depois de uns dois minutos o magrelo foi para minha xoxota e o baixinho mim deu sua pica para chupar, o magrelo gozou rápido em minha xoxota e o baixinho não ficou atrás ejaculou dentro de minha boca o chefe do grupo disse :
—-Venha cá putinha e veja como o seu namorado estar gostando de ver você fudendo com os meus camaradas .
Eu mim aproximei e vir o pau do meu noivo duro como pedra realmente ele estava sentindo tezão pelo o que estava acontecendo comigo so podia ser isso .
O chefe do grupo falou :
—-Camaradas por esse idiota ter trazido esta gostosa para dentro da mata e nos presentear com esta foda eu vou deixar ela fuder com ele .vai cachorra e monte nele .
Eu fui e comecei a sentar na pica do meu noivo ,depois da pica estar totalmente dentro da minha buceta eu comecei a calvagar, ai sim eu comecei a liberar os meus gemidos de prazer so que eu tinha esquecido da ameaça do chefe do grupo em comer a minha bunda e ele fez isso de propósito pois eu fiquei de frente para o meu noivo e de costa para ele .
Ele se aproximou, mim segurou e disse vou comer esse rabo agora,eu tentei sai de cima do meu noivo e escapar mais não foi possível ,ele já tinha com certeza passado cuspir em seu pau e meu orifício da bunda estava exposto ele foi enfiando devagar eu fui sentindo as minhas pregas da bunda ir se partindo as lagrimas começara, a cai dos meus olhos quando finalmente ele tinha introduzido toda a sua pica em meu rabo ele começou tirar e meter em minha bunda ,era um misto de dor e prazer que eu estava sentindo ,eu comecei a rebolar no cacete do bandido e ao mesmo tempo no cacete do meu noivo perdi a cabeça e comecei a gemer gostoso na pica dos dois , o magrelo veio e colocou a sua pica na minha boca ,fui ao delírio estava gozando igual a uma puta qualquer, mais estava adorando   ,meu noivo gosou muito em minha xoxota pois sentir seu esperma escorrer pelas minhas pernas , o chefe do bando notando que o cacete do meu noivo estava mole tirou o cacete de minha bunda e mandou eu mim afastar do meu noivo para continuar a comer a minha bunda .
O baixinho sentou ,e o chefe do bando disse .
Vai putinha senta na rola do meu parceiro .
Eu fui e coloquei a pica do baixinho em mina xoxota e o chefe do bando veio e colocou de novo em meu rabo e começaram a mim fuder gostoso o magrelo veio e colocou sua pica em minha boca ,foi ate bom o magrelo ter vindo e colocado o pau em minha boca pois assim eu não demonstraria com os meus gemidos o prazer que estava sentindo
Ficaram transando comigo por uns dez minutos ,o primeiro a gosar foi o magrelo ele gosou em minha boca parecia ser o mais fraco em segurar a ejaculação o chefe do bando e o baixinho gosaram juntos um na bunda e o outro em minha xoxota e eu até hoje não consigo contar cantas vezes eu gosei naquele dia .
O chefe do bando foi em direção ao meu noivo e disse
—-nos iremos levar sua namorada ,daqui a dez minutos nos a soltaremos mas preste atenção é melhor você e ela ficarem de bocas fechada .
Ele veio e ordenou que eu vistisse minhas roupas de praia ,caminhamos por uns dez minutos para o interior da mata ele tirou o cacete para fora e mandou eu chupar disse que estava se despedindo da putinha do dia ,eu mim agachei e comecei a chupar o seu caçete , o baixinho não perdeu a chance e veio por trás afastou meu biquíni para o lado e meteu o seu cacete em meu cu ,o magrelo so ficou observando demoraram uns dez minutos gozaram em minha boca e em meu cuzinho depois adentraram para dentro da mata eu mim levantei e fui de encontro ao meu noivo, mim aproximei e desramarei as mãos dele ele olhou para mim e disse :
—voce viu amor que eu não podia ter feito nada para evitar este ocorrido
—Eu sei amor, mais peço que isso fique entre você e eu pois eu não suportaria que as pessoas ficassem sabendo que eu fui estrupada.
Ele concordou comigo .
Hoje somos casados, e eu e ele temos a fantasia de mais alguém participar de nossas transas.

Beijos a todos que leram este conto desculpem pelos erros pois não sou escritora

Gozei com um gay coroa.

Eu tenho 48 anos, sou grisalho, pele branca, 1,68 alt., 83 kg, já fiz um relato anterior, há algum tempo eu tenho uma tara por uma bundinha masculina, já sai com alguns caras onde senti um enorme prazer, sou totalmente ativo.
Certo dia estava na sala de bate papo, quando fui chamado a teclar com um cara de uns 50 anos, conversamos muito, e pelo papo dele comecei a despertar um tesão e uma vontade grande de transar.
Depois de algumas insistências dele, aceitei o convite para ir a sua casa, ele era branco, tinha um belo corpo, uma bundinha lisinha, do jeito que eu gosto.
Sentamos na sala e ficamos a conversar, o assunto tomou um rumo mais ousado, e aos poucos ele foi chegando, primeiro colocou a mão na minha perna e começou a alisa-la, aos poucos foi subindo e começou a apertar meu cacete por cima da calça, neste momento ele já estava duro, pronto para sair, ele continuo a alisar, e olhava para mim com uma cara de safado, abriu meu zíper e enfiou a mão dentro da minha calça e começou a apertar meu cacete, quando ele sentiu que o mesmo já esta bem duro, foi ao delírio, mas ele era experiente e sabia como aumentar o meu tesão, tirou meu pau pra fora e começou um punheta bem devagarzinho, tratando meu cacete com muito cuidado, pois logo logo iria usa-lo bem gostoso.
Um certo momento, empurrei a cabeça dele em direção ao meu cacete, ele começou a lamber também com uma maestria como nunca tinha sentido, o tesao foi so aumentando, meu pau parecia que ia explodir, aos poucos foi enfiando na boca, hummmmmm agora tava ficando bom, sentir aquela boca quentinha envolvendo meu cacete era tudo de bom, chupava que era uma delicia, o meu tesao foi so aumentando, lambia meu saco, minha virilha, depois de alguns minutos eu avisei que ira gozar, foi onde ele aumentou mais ainda a chupada, sentia meu pau ir na sua garganta, no teve jeito, acabei gozando em sua boca, ele segurou meu pau dentro da sua boca ate sair o ultimo gole de porra,ele vibrava de tesao, aquela chupeta foi sensacional.
Demos um tempo, e ele veio de novo, agora falando que queria sentir meu cacete dentro de seu cuzinho, que estava piscando louco para ser invadido, começou a chupar meu pau novamente, não demorou muito e ele já estava duro parecendo um pedaço de ferro, colequei ele de quatro, e comecei a brincar na entrada do seu cuzinho, sua bundinha era do jeito que eu gostava, lisinha, e grande, ao poucos comecei a enfiar no seu cuzinho, hummmmmm que momento gostoso, ele começou a rebolar igual a uma putinha, e pedia mais mais mais, esse cuzinho eu tava comendo bem gostoso, e procurei demorar mais so para curtir, enfiava tudo e tirava, enfiava e tirava, ele foi a loucura e eu também, de repente a explosão de gozo, gozei gostoso naquele cuzinho, fiquei uns minutos com o pau dentro de seu cuzinho.
Marcamos outra foda, mas essa conto depois,
Estou em Uberlândia-MG se alguém quiser curtir.

                                

Depois de viúvo, casei novamente..

Depois de 03 anos que fiquei viuvo, aconteceu a coisa mais gostosa da minha vida. Minha filha Irina, uma bela morena de 24 anos veio morar comigo depois de ter se separado do marido. Foram 02 anos de um casamento muito infeliz. Tenho 47 anos e estava morando sozinho desde que perdi minha esposa. Tive alguns namoricos, mas nada que eu levasse a sério. Minha menina já estava comigo a uns oito meses e quase não saia de casa. Numa noite, eu chamei ela pra conversar e perguntei o que estava acontecendo. Ela me disse que estava muito triste pois não conseguia arrumar um namorado que fosse legal e ela não queria ficar com um monte de homem. Eu disse que ela estava certa nesse ponto, mas que, se ela não saísse de casa, ela não conseguiria nada. Falei que ela deveria sair, passear, ir à praia com as amigas, ao shopping, as festas que a convidavam. Ela me falou que eu estava certo e disse que iria fazer o que eu queria.
Passados alguns dias, ela me falou que iria numa festa na casa de umas amigas na sexta feira. Eu falei que estava tudo bem e que se ela quisesse eu a levaria e depois iria buscá-la. Quando chegou o dia, depois que eu cheguei do trabalho, fiquei vendo ela se arrumar e puta notar a beleza de mulher que era minha filha. Ela colocou um vestido preto bem colado ao corpo, e que corpo, e uma calcinha bem pequenina. Acho que nunca tinha visto uma calcinha tão pequena. Confesso que, na hora, fiquei com um pouco de ciume. Peguei meu carro e lá fui eu levar minha filha pra festa. Lá chegando, vi que tinha bastante gente na casa. Deixei ela no portão e disse que, quando ela quisesse voltar pra casa, era só me ligar.
Quando deu por volta das duas da manhã, ouço meu celular tocando e levo aquele susto, pois estava em um sono muito gostoso. Atendo o celular e escuto a voz de uma das amigas de minha filha me pedindo pra ir pegar a minha menina pois ela não estava muito bem.
Rapidamente entrei no meu carro e parti pra lá. Cheguei e encontrei minha menina muito bêbada. Peguei-a e coloquei no carro, com a ajuda de uma amiga dela, e voltei pra minha casa. No meio do caminho, ela pegou no sono e o vestido curto dela foi subindo, deixando as suas belas coxas à mostra. Quase bati com o carro. Não conseguia parar de olhar pra aquela delicia de coxas. Dava pra ver até um pedacinho da calcinha. O pau começou a dar sinais de vida e foi dificil me controlar.
Quando cheguei em casa, coloquei o carro na garagem e a chamei pra entrar. Ela estava muito ruim e precisei ajudar pra ela sair do carro. Levei-a pra dentro e perguntei se ela queria ir ao banheiro. Ela balançou a cabeça negativamente e, então, eu a levei direto pro seu quarto. Quando lá chegamos, ela se jogou na cama e o vestido subiu de vez, deixando tudo à mostra. Ela ficou de barriga pra cima e pude então observar a maravilha de xota que ela tinha. A calcinha, também preta, era transparente e deixava eu ver os pentelhos dela bem aparados e os lábios lindos daquela xota que já estava a oito meses sem um pau. Enlouqueci de vez. O pau parecia que ia estourar minha bermuda. Ela estava apagada. Eu não sabia o que fazer. Queria sair dali, mas não conseguia. Estava louco de tesão por aquela morena linda de um metro de sessenta e dois, seios pequenos, bunda deliciosa e uma xota que pedia pra se chupada. E foi isso que eu fiz. Me ajoelhei entre as pernas e dei um beijo na xota dela e pude sentir o cheiro delicioso que exalava. Afastei a calcinha pro lado e coloquei minha língua e senti o gosto da minha filha. Ela gemeu e abriu mais as pernas e isso me deu mais coragem. Então não pude mais parar. Continuei chupando até sentir o gozo dela em minha boca e, já com o pau pra fora, fui subindo pelo seu corpo e encaixei a cabeça dela na entrada dela e fui penetrando devagar. Ela gemia e eu respirava pesadamente. Comecei a me movimentar, entrando e saindo dela e ela acompanhava o meu rítmo. Estava muito gostoso. De repente, ela me agarrou o pescoço e me puxou e nos beijamos loucamente. Ela me laçou com suas pernas grossas e gozamos como dois animais, misturando nossas respirações. Deixei ela toda esporrada, levantei e fui para o meu quarto.
No sábado, acordei tarde. Fui na sala e ela estava no banheiro, tomando banho. Escutava o barulho da água caindo e pensava o que iria acontecer. Pensava mil coisas, Achava que minha filha iria me odiar. Iria pedir perdão a ela e implorar pra que ela esquecesse o que aconteceu. Quando ela saiu do banheiro, estava só de toalha. Me olhou, me deu um bom dia com um sorriso lindo. Falou que o café estava pronto e que, depois que eu tomasse o meu café, eu fosse imediatamente na farmácia comprar uma pílula do dia seguinte pra ela e que também não esquecesse de comprar uma cartela de pílulas pra ela tomar diariamente, pois ela não queria engravidar por agora. Depois eu conto como foi o meu primeiro final de semana de casado novamente…

Meu namorado não sabe, virei putinha de outro 2.

Fazia quase 2 semanas que o Fábio não me procurava, já estava sentindo falta de ter aquele pau dentro de mim e ser tratada como uma vagabunda. Estava jantando com meu namorado numa sexta feira quando recebo uma mensagem: ?Quero te comer, venha para meu apartamento?, despistei meu namorado dizendo que era uma amiga agradecendo um favor, depois de uns 15 minutos fui ao banheiro e liguei para o Fábio. ?Não posso ir agora, estou com meu namorado?, eu disse. Ele riu e respondeu: ?Isso é problema seu. Vc é minha puta e quero vc agora, vc tem uma hora para se livrar do corno e vir aqui?. A cada dia ele fica mais autoritário, me trata como se realmente fosse meu dono, e isso surpreendentemente, me deixa com mais tesão ainda. Pensei na saudade que tava daquele pau e nas fotos que ele tinha da gente transando e achei melhor obedecer.

Terminei o jantar com calma, para não dar bandeira, quando saímos falei que estava cansada e queria dormir, pedi que me levasse para casa. Na frente do meu prédio, meu namorado começou a me dar um amasso muito gostoso, eu que já estava excitada com o telefonema do Fábio fiquei encharcada. Se meu namorado resolvesse subir iria acabar dormindo no meu apartamento e eu não poderia sair, então tirei o pau dele para fora da calça e comecei a chupar com muita vontade até ele gozar bem gostoso, engoli tudo. Continuei beijando seu pau e disse que hoje estava muito cansada, mas amanhã daria o trato que ele merecia.

Sai do carro, entrei no prédio e chamei um táxi enquanto esperava que ele fosse embora, no caminho chupei um halls para disfarçar o cheiro de porra e com a boceta encharcada ficava pensando na vagabunda que tinha me tornado.

Quando entrei no apartamento do Fábio, ele estava meio bravo e reclamou: ?Mais de uma hora atrasada, qualquer dia vou ensinar vc a ser mais obediente?. ?Sim senhor?, eu respondi brincando, então ele me puxou pela nuca, agarrando meus cabelos e me beijou de um jeito que fiquei sem fôlego. Eu ri, pensando que há alguns minutos atrás meu namorado havia enchido minha boca de porra.

Ele estava tomando um vinho, me serviu uma taça enquanto bebíamos ele me dava uns amassos me deixando ainda mais ligada, já estava louca para levar um pau. Mas ele evitava minhas investidas mais ousadas e me fazia beber mais um pouco. ?Não me fez esperar? agora e sua vez?, ele dizia e ria.

Quando já estava meio altinha, ele me deu um presente e mandou eu vestir, era uma fantasia de noiva dessas de sex-shop, como eu adoro essas roupinhas vesti bem feliz. Ele me beijava e me tocava, minha bocetinha ficava cada vez mais encharcada, a calcinha da fantasia, que era bem fina, já estava toda molhada. ?Vc é muito vadia, nunca vi uma mulher ficar tão molhada em tão pouco tempo?. Já não agüentado mais me ajoelhei, abri a calça do Fábio e coloquei aquele delicioso pau para fora.

Fiquei alguns segundos admirando aquele pau perfeito, Fábio não é um homem muito bonito, um pouco mais baixo e mais magro do que os homens que costumava sair, mas desde a primeira vez que vi seu pau fiquei maravilhada, além de grande e grosso, seu pau é reto, sem aquela curva que todos têm. O chamo de pau perfeito, toda vez que vejo esse pau, fico louca de vontade, não consigo pensar em mais nada, é como um fetiche muito forte. Lógico que o Fábio sabe desse poder que tem sobre mim, e usa isso para que eu faça todas suas vontades.

Quando já não resistia mais enfiei tudo na boca, quase tive um orgasmo, dada a minha vontade. Mas ele me segurou pelo cabelo, afastou um pouco a minha cabeça, enquanto com a outra mão batia aquele pau rígido com força na minha cara. ?O que vc é??, ele perguntava, ?Sua puta!?, eu respondia, ?E seu namorado??, ?Vai ter que se acostumar a ser corno, pois não consigo ficar sem esse pau?. Ele fica ainda mais excitado quando eu falo essas coisas, parece que é um estimulo a mais para os homens possuir a mulher de outro. Ele largou meu cabelo e eu comecei a lamber toda a extensão daquele pau, as vezes dava beijinhos na cabeça. ?Que boquinha gostosa. Vc é uma putinha obediente??. Ele perguntou, novamente puxando meu cabelo. ?Muito obediente?, respondi, colocando seu pau na boca, com aquele pau delicioso na boca, eu apenas pensava em agradá-lo. ?Então vá até o quarto, que tenho mais uma surpresa para vc?.

Fui até o quarto curiosa para saber qual seria a surpresa, puxando o Fábio pelo pau, quando abri a porta, vi um rapaz, de uns 23 anos, deitado pelado na cama segurando o pau que estava meio duro. Me virei, brava, para o Fábio, ?O que é isso? O que vc acha que sou??, perguntei. Ele riu, com um jeito sínico, ?Para de frescura, Não acho, sei que vc é uma vagabundinha e que é louca para dar para dois, esse é meu primo, Eduardo, ele vai se casar e eu disse que ia arrumar uma puta para a despedida de solteiro dele. E pq contratar um puta se eu já tenho vc??. Ele foi dizendo isso e me empurrando para perto da cama, segurou nos meus cabelos e foi forçando minha cabeça em direção ao pau do Eduardo. Vendo aquele pau crescendo apenas com a minha aproximação, aquele jeito bruto do Fábio me tratar, junto com a bebida, foi aumentando meu tesão, e pensei, pq não?

Abri a boca e engoli aquele pau quase inteiro, depois comecei a lamber das bolas até a cabeça, então olhei para os olhos do Eduardo e disse, ?Acho que vou ter muito prazer em te conhecer!? e voltei a chupar o pau dele. Ele com uma cara de felicidade imensa, parecia não estar acreditando naquilo, respondeu: ?O prazer é todo meu? e falou com o Fábio, ?Cara, achei que vc estava brincando, mas essa mulher é tudo que vc falou?. Eu pensava na vadia que tinha virado e ficava, mais e mais, excitada, já não agüentava mais de vontade de ter um pau dentro de mim quando o Fábio puxou a calcinha pra o lado e foi enfiando aquela delícia dentro de mim, não demorou nada eu comecei a gozar, uma gozada atrás da outra. O Fábio falava, ?Não disse que ela era uma cadelinha?. O primo apenas ria e gemia, e logo encheu minha boca de porra, que eu engoli todinha. Depois foi a vez do Fábio encher minha boceta de porra, só nesse momento me toquei que o filho da puta não tinha colocado a camisinha, fiquei um pouco brava, mas devo admitir que foi muito bom sentir aquele pau explodindo dentro de mim e ter sua porra escorrendo na minha perna.

Deitamos os três na cama para descansar, me sentia poderosa no meio de dois machos, logo Eduardo começou a dar sinal de vida, começou a me beijar, colocou a camisinha e subiu em cima de mim, depois de um tempo Eduardo disse que o Fábio tinha me deixado alagada e perguntou se poderia pegar outro caminho, ?Só se preparar ele antes com a língua?, eu respondi. Estava doida para ser chupada, no início ele começou a lamber apenas meu cuzinho, mas logo puxei a cabeça dele e fiz ele se lambuzar na minha boceta melada. No começo, acho que ele ficou com um pouco de nojo, afinal o Fábio tinha acabado de gozar ali, mas depois de umas palavras de incentivo o menino já enfiava a língua no meu cuzinho e bocetina se deliciando com meus líquidos. O Fábio olhava, ria e sussurrava no meu ouvido que eu era uma menina má, ?Pq apenas eu tinha que tomar porra??, respondi rindo.

Depois de curtir um tempo aquele carinho, pedi ao Fábio um lubrificante e passei no pau do Eduardo, que estava duro como uma pedra, o Fábio falou que era o primeiro cuzinho que o primo comia. Fiquei de quatro e deixei ele meter, foi um pouco afoito, mas como a pau dele não era tão grosso quanto do Fábio ou do meu namorado, me acostumei fácil e logo já estava tendo prazer. Já gemendo bastante, enfiei a cara no meio das pernas do Fábio e comecei saborear aquele pau delicioso. Eu gemia e não conseguia parar de falar ?Que delícia, que delícia?. Logo o Fábio se mexeu e foi se posicionando por baixo de mim, minha boceta escorria, antecipando que finalmente teria dois paus dentro de mim. Demorou um pouco até acharmos uma posição adequada, mas depois foi a realização de um sonho, o Fábio teve que tapar minha boca de tanto que eu gemia e gritava. O Eduardo gozou logo, e continuei curtido o pau delicioso do Fábio, eu o beijava, agradecia e falava que o pau dele era delicioso. Ele ria e me chamava de putinha obediente.

Apagamos os três, quando acordei lembrei que tinha que ir trabalhar, perguntei que me levaria para casa, Eduardo rapidamente se ofereceu. Quando chegamos na porta do meu apartamento, ele tentou me beijar:

?Aqui não, tenho namorado lembra??

?Eu nunca conheci uma mulher como vc, queria te ver novamente. Queria ter vc sozinha.?

?Vc vai casar daqui uma semana.?

?Não importa tenho que te ver?.

Uma foda e o menino já esta de quatro, me senti poderosa, resolvi estender a brincadeira um pouco. Isso que não curto homens mais novos que eu.

?Já tenho um namorado que me da muito amor e carinho, tenho o Fábio que me trata como uma vagabunda, o que vc pode oferecer de diferente??

?O que vc quiser.?

Fiz uma cara de pensativa e fiquei rindo da cara de pidão dele.

?Hummm. Quero um escravo sexual, alguém que faça todas minhas vontades, que seja meu brinquedo.?

?Eu topo.?

?Vamos fazer um teste então.?

Levei ele para meu apartamento, sentei na minha cama e mandei ele tirar meus sapatos, ele se ajoelhou na minha frente e começou a massagear e beijar meus pés enquanto eu ligava para o trabalho dizendo que estava mal e que não iria. Meu namorado tem um certo fetiche por pés e passa bastante tempo beijando os meus, nunca achei nada de especial nesses carinhos, mas ver aquele rapaz ajoelhado me olhando com aquela cara de adoração enquanto chupava meu dedão depois de uma noite de putaria…

Quatro dias,nove garotas para cinco cÃes.

QUATRO DIAS, NOVE GAROTAS PARA CINCO CÃES. (O INICIO)

Olá amigos.                                             
Uma das coisas mais belas nessa vida é quando fazemos aquilo que gostamos, e é claro que essa coisas não sejam só para a nossa satisfação e sim para aqueles que estão ao nosso lado, se fosse apenas para as nossa satisfação pessoais seria egoísmo e o egoísmo e o egocentrismo corrói a vida e a relação.
Alguns de meus amigos eu contei com antecedência o que eu estava planejando fazer, uma loucura, mais uma loucura deliciosa, foram uma semana inesquecível que ficará guardada em minha vida e de todas as minhas amigas com certeza.
Eu convidei Nove amigas aqui na semana do feriado de setembro, e tudo deu certo> Nessa semana nos aconteceram muitas coisas, muito sexo, muita amizade e muitas alegrias pessoais e porque não dizer de amor? Foram exatamente Cinco dias. E vou lhes contar dia por dia o que nos ocorreu… Vou procurar resumir se não ficaria um relato estafante e chato para todos, mais como sempre descreverei em todos os detalhes. Mais tudo começou assim……
No mês de agosto eu e a belinha estávamos deitado na rede de nossa varanda, quando comentei de tantas amigas e amigos que temos que praticam zoofilia. Tenho amiga de todos os estados até do Acre, e são essas pessoas que nos deixam felizes com suas amizades sinceras e francas, que nos faz ir em frente com relação ao que gostamos e nos dá força para divulgarmos mais e mais este assunto que é a zoofilia. Então eu disse pra Belinha… ? Querida já imaginou todas essas nossas conhecidas aqui metendo com nossos cães?
– Seria uma loucura. Com certeza vc iria adorar né seu safado?
– Mais claro. Vamos fazer então? Vamos em frente ver no que vai dá?
– Faça o que vc desejar, mais convide só amigas de confiança, não se esqueça daquela vez os aborrecimentos que passamos e o prejuízo que tivemos.
– Vc está certa, só vamos convidar quem já teve realmente relação com zoofilia, assim não teremos que nos preocupar com pessoas inexperientes de primeira viagem.
Então meus amigos, estávamos dando à largada para a nossa loucura. Em principio, o nosso plano era convidar 10 amigas. E partimos pra luta:
A Belinha convidou nossas amigas de S.Paulo… Tínhamos que ter o cuidado para convidar com antecedência, para elas fazerem planos e seus arranjos pessoais, afinal algumas dessas amigas são casadas e outras têm namorado. E é claro, como eles não podiam vir elas tinham que se livrar deles no bom sentido é claro. Das cinco convidadas Quatro nos deram à certeza que viriam. A Carol, a Cristina, a Ana e a Paula. Três dessas já vieram aqui no nosso sitio e inclusive eu contei relatos delas, Só a Paula que foi iniciada quando ainda morávamos em SP (Eu ainda não contei como a iniciamos, mais em breve vou lhes contar como foi). Faltava seis… Do Rio convidamos a Dania, mais com ela tínhamos um problema. Esta nossa amiga por ser uma pessoa publica e conhecida poderia ser um obstáculo, isso com relação a privacidade, pois ela trabalha em um uma emissora e tem medo de um escândalo com relação a isso, ou seja, que ela faz e gosta que é zoofilia. Liguei pra ela e expliquei que, quem viria eram pessoas de confiança, que ficasse tranqüila que eu dava o meu voto pra elas. A Dania reafirmou de que só podia vir se eu prometesse que não tirariam nenhuma foto dela. Pois ela tinha medo… E estava com toda razão. E vocês que em acompanham bem sabem o motivo. Do Rio também convidei a Eliana, que já tinha ido a nossa casa em SP e já veio também aqui em nosso sitio por duas vezes. Faltavam quatro. Daqui do Paraná convidamos a Ayumi a nossa delícia japonesa, eu já contei vários relatos dela, e a Rita de Cafelândia, faltavam duas.
Eu tenho uma amiga em Minas de Uberlândia que está grávida, e eu por gostar de grávidas como vcs sabem, eu faço qualquer loucura. Eu a convidei, ela disse se eu pagasse a passagem ela viria. De e pronto combinamos e estava tudo certo. Estávamos com Nove amigas. Mas, se convidássemos mais pessoas com certeza viriam. Tenho uns amigos do Curitiba, de Maringá, de Sc. De RS… Todas essas quando eu falei disseram que gostariam de vir, mais como combinamos de que seriam pessoas que já tiveram experiência… Amigas que sabem quem são e lerem este relato nos desculpe. Pensamos outra em outra oportunidade, quem sabe?
Pois bem, Imagine vocês organizarem tudo isso para tantas pessoas? O bom é que eram mulheres e com relação a certas coisas nos facilitavam, eram pessoas maduras e conscientes do que estavam por vir. Como a minha casa é imensa, espaço é o que não falta, essa é a nossa vantagem, assim dar pra acomodar muitas pessoas. E nós tivemos que fazer também nossos arranjos, quanto à alimentação, dar folga pro nosso caseiro, e acertar as acomodações.
E uns dias antes, a Belinha foi pra SP e vir com as nossas amigas de á, as do Rio eu fui pegar no aeroporto de Maringá, a de Minas chegou na quinta, e as do Paraná chegaram também na quarta.
Amigos que maravilha. A Anita de MG é a que está com sete meses e meio, mais a sua barriga demonstra mais e ela veio tranqüila de avião, disse que estavam bem só as escalas é que é cansativo mais enfim.
Eu estava preocupado com ela devido à viagem, mais por ela está grávida, e por ser distante da gente.
Ver todas aquelas mulherada juntas foi uma maravilha, quando eu cheguei de Umuarama com a Dania e a Eliane, elas não se conheciam, e quando a Eliane a viu não acreditou que era ela, como a Dania estava de óculos escuros nem dava pra reconhecer aquela mocinha tão dócil e tão sacana com um cão na boceta. Cheguei à casa a Belinha já estava com as nossas amigas de SP, e apresentei a todas no começo foi um pouco complicado, por causa da Dania e ela trabalhar em uma emissora. Mais depois de uns minutos já se soltaram e começaram a falar bobagens e entramos no clima pareciam que já se conheciam há muito tempo, abracei todas é claro e alisando os peitos de cada uma e elas alisando o meu pau. Eu e meus cães nos daríamos bem. Ainda bem que segui o conselho de um amigo que me deu uma receita de uns comprimidos milagrosos de Levitra, e foi uma maravilha, não passei vergonha rsrs.
– Franco, queremos ficar em seu quarto, falou a Carol, as outras foram atrás.
Nem me deixaram responder que sim ou que não… Para mim seria um paraíso dormir perto ou abraçado a tanta gente… É isso que eu chamo de sorte meus amigos… Aliás, eu não chamo de sorte e sim aproveitar as circunstâncias que nos batem à porta.
– Então temos que arrumar as camas está bem? E lá fomos nós. Empurrei a minha cama para o canto e trouxemos três beliches do quarto de hospedes. Só as roupas delas que ficaram nos outros guarda-roupas.
Depois da janta ficamos na sala, como ainda faltavam três pessoas pra chegar a Ayumi, a Rita e a Anita que só viriam no dia seguinte, eu disse a todas que queria conversar, mais só quando estivesse todo mundo reunido. A noite foi tranqüila, elas estavam cansadas devido a viagem, principalmente as do Rio, as de SP deitaram com a gente na mesma cama, ainda bem que a minha cama é tipo Luiz XV bem grande e cabe 5 pessoas tranqüilo. Logo cedo eu fui pra Maringá buscar a Anita, e ainda bem que fui cedo, ela já estava me esperando, e foi fácil quando eu cheguei liguei pro celular dela e nos encontramos. Amigos que barriga linda ela estava, seios deliciosos e como estava de bata realçavam mais ainda a sua barriga e as suas coxas. O meu pau deu sinal de vida e disse pra mim mesmo… –Se comporte cara!
A Anita estava preocupada com as outras amigas por ela está grávida, e poderiam ficar ressentidas por ela está assim ou até ignorarem. Mais eu a tranqüilizei dizendo que estávamos ali para nos diverti, era isso que iríamos fazer. De que todas eram nossas amigas e que ela iria gostar demais desses dias.
– Amigos, ser tratado por uma mulher que vc ama é uma maravilha, agora imagine ser tratado e pajeado por 9 mulheres deliciosas?… Se no paraíso não tiver mulher, deixo a minha vaga para outra pessoa, podem ir ao meu lugar primeiro pois a fila é grande e eu não pretendo cortar essa fila não.
Quando chegamos todas já estavam lá, a outras que ainda não chegaram vieram pela manhã, e agora depois do almoço estávamos todas reunidas no nosso salão de inverno.
– Queridas eu quero conversar com vcs todas, lembra-se que eu disse ontem? Pois bem. Com alegria que eu e a Belinha recebemos vcs aqui em nossa casa. Aqui vamos nos divertir e passar esse fim de semana, ninguém está obrigado a fazer nada, não estamos aqui para uma orgia inconseqüente, aqui não tem mulheres da vida, e sim pessoas casadas e responsáveis. Estamos aqui por uma amizade que com certeza vai nos fortalecer cada vez mais, e são as boas amizades que conservamos. Tudo o que ocorrer aqui dentro ficará aqui com a gente. Todas as amigas aqui já foram apresentadas, e saibam que eu sou um privilegiado e honrado de ter vocês como minhas amigas. Eu gostaria que aqui tivesse casais, mais como vcs sabem é o meu critério não trazer casais aqui. E algumas de vocês ou todas sabem os motivos. Zoofilia é complicada em todos os sentidos. Enfim que o amor e o respeito possa haver entre todos nós. Está bem? Mais se solte, não se prendam a preconceitos idiotas e hipócritas da sociedade.. Alias, eu nem precisava dizer isso. Todas aqui já tiveram relações sexuais com cães. E riram muito. Só a Anita que é marinheira de primeira viagem, tenha paciência com ela.
– Franco, fica tranqüilo, quando ela voltar pra Minas ela vai voltar outra pessoa, vamos ensinar tudo pra ela… E rimos a vontade com isso.
E aplaudimos todas rindo com isso.                                                                                  A Dania tomou a palavra e pediu que não fosse tirada foto, a Anita também concordou com isso e de comum acordo todas concordaram, como não temos mais maquinas filmadoras estávamos tranqüilo com relação a isso. Disse-lhes que todas as dependências do sito estavam à disposição delas. E que estávamos ali para nos divertir e é claro gozar e muito.
Pois bem então meus amigos imaginem as loucuras que aprontamos nesses Cinco dias? Vou lhes contar dia a dia, assim vocês com certeza me acompanharão em tudo o que fizemos.

Acompanhem-nos próximo relatos…

Se você mulher deseja compartilhar suas experiências com seus cães estou à disposição, ou se desejarem conselhos ou informações sobre esse assunto podem contar comigo, nos adicionem ou nos enviem uma mensagem para o meu email.
Amigos eu tenho mais de 490 filmes amadores de zoofilia que posso repassar. Eu tenho um dvd da minha esposa transa com nossos dois cães que também posso repassar, entrem em contato que lhes dou as informações de como fazer.
No mais aguardem o que nos ocorreu aqui em meu sitio na semana do feriado de setembro ultimo.
Abraços
? Não se conquista uma mulher todos os dias… devemos sim conquistar a MESMA mulher todos os dias de nossas vidas.?

                                

Eu deliro quando penetrada duplamente

Eu deliro quando meu marido me penetra a vagina ao mesmo tempo em que um plug anal vibra, sem parar, dentro do meu cuzinho apertado. Uma delícia… Só a mulher, que já fez isso, sabe o que eu sinto! Se você tem esta tara, experimente. Eu recomendo. (risos) Tenha sempre lubrificante à base de água, paciência e muito carinho, pois ânus e vagina não são de borracha. O objetivo não é provocar sangramentos, traumas ou dores. É apenas trocar prazer com seu parceiro (a). Sensibilidade é fundamental.
Deixe-me apresentar a você. Meu nome é Maria Luíza, 35 anos, pele branca, macia, 1,58m, 64Kg, olhos castanhos escuros, cabelos loiros, lisos e compridos, seios médios, bumbum grande e coxas grossas. Meu marido é o Guto, 38 anos, pele branca, 1,77m, 79Kg, olhos e cabelos castanhos escuros, lisos e curtos, ombros largos, pernas fortes e bumbum carnudinho. Somos casados há 10 anos. Temos três filhos maravilhosos. Um menino, Roberto, com oito anos e duas meninas, Laurita e Latara, com seis e cinco anos de idade, respectivamente. Este meu depoimento pessoal retrata um momento íntimo ocorrido no começo deste ano. Boa leitura.
- Uau… Você está linda, amor. Que delícia!
Eu, sensualmente, respondi:
- Muito obrigada, meu príncipe. É para te seduzir!
Eu havia acabado de sair do banho. Preparava-me, na nossa suíte, para ter intimidades com o homem da minha vida. Vestia camisola de algodão, verde, canelada, manga longa e botões no decote. Por baixo, tanga branca, forro em algodão e drapeada nas laterais. Pés macios sobre chinelos plataforma, salto seis centímetros. Brilho labial rosa e unhas francesinhas. Sentei-me na cama Box, Queen Size, para passar cremes hidratantes no rosto e corpo. Guto assistia ao jogo de futebol na TV. Nossos filhos dormiam nos quartos ao lado. Passavam das 22h. Sentia-me ansiosa e excitada!
Guto vestia camiseta branca e cueca boxer preta. Beijamo-nos à luz de abajures e TV. Rolávamos abraçados sobre edredom de algodão, 200 fios. Lábios esfregavam-se e línguas molhadas roçavam-se sem parar. Cheiros, doce e cítrico, dos nossos perfumes misturados aos nossos cheiros naturais exalavam do ninho de amor. Deitei-me por cima dele. Meus cabelos pinicavam-no. Beijava-lhe no peito, pescoço e orelhas. Lambia-o. Passava-lhe as mãos. Guto contorcia-se arrepiado! Esfregava-me sobre a boxer… Sentia o membro duro! Jeito que eu adoro. (risos)
Guto, por sua vez, passava-me as mãos no bumbum frio e liso. Acarinhava-me sobre a tanga. Abocanhava-me nos seios pelo decote da camisola de algodão. Meus bicos ficaram molhados e duros. Minha vagina também… Delícia! Comecei gemer. Ele deslizava a boca no meu pescoço, orelhas e busto. Lábios, carnudinhos e molhados, excitando-me por demais. Relaxei-me. Fiquei de quatro e olhei para ele… Pisquei. Desci a lingerie dele e cheirei-o no pênis. Gostoso! Toquei-o com a ponta da língua. Guto acariciou-me nos cabelos. Joguei as madeixas para o lado e introduzi o viril membro na boca. Adoro o cheiro e o sabor do pinto dele. Pediu-me meia nove. Mais que depressa, aceitei! Engatinhei sobre o colchão de molas. Ofereci meu bumbum para o deleite dele. Empinei-o. Logo, ele disse-me:
- Amor, que bundão gostoso!
Depois de dez anos de casada, três filhos e ouvir isto do homem da minha vida? Amei… Ganhei a noite! (risos) Ele levantou a camisola. Beijou-me nas poupas do bumbum. Minha pele arrepiou… O corpo inteiro. Cheirou-me no ânus e vagina. Bandido… Eu deliro sentindo a respiração dele nos meus órgãos sexuais. Molhei-me! Puxou-me a tanga para o lado e passou-me a ponta da língua nos orifícios. Eu chupava o pinto dele e sentia meu rosto queimando. Meu coração acelerou-se. Minhas pernas tremiam. Suspirei:
- Aaai, amor. Assim você me mata de tesão!
Sentia seus dedos abrindo meu buraquinho de fazer cocô e sua língua forçando a passagem. Um ar frio na portinha do meu ânus. Delícia! Depois, sentia seus dedos abrindo minha vagina lisa e a língua invadindo-me, sem cerimônias. Geladinha! Quando ele dedilhou-me no clitóris, gozei. Contrações fizeram-me tremer o quadril. Meu líquido escorreu.
Fiquei doida… Queria mais! Abocanhei-o no pênis. Suguei-o. Gostoso! Passei a ponta da língua na fenda da cabeça do pau. Saboreava a excitação dele. Introduzi todo o membro na boca… Até a garganta. Banhado de salivas saiu. Quase engasguei, mas abafa o caso! (risos) Chupei-o no saco… Nas bolas. Beijei-lhe nas coxas peludas e ele ergueu suas pernas. Dobrou-as. Massageei-lhe no buraquinho de fazer cocô. Aí, foi minha vez! Cheirei-o no ânus. Cheirinho de cu sem lavar. (eu adoro) Esfreguei-o com meus lábios da boca. Passei a superfície da língua. Chupei-o no cuzinho, bem gostoso, enquanto minha mão o punhetava. Enquanto isso, a língua dele entrava e saía da minha boceta, a respiração batia na porta do meu cu e dedos dedilhavam-me no grelo. Estava gozando novamente! Eu gemia como uma cadelinha. Meu líquido quente escorria e ele lambia tudo.
Engatinhei-me na cama até o criado mudo. Abri a gaveta, peguei lubrificante e escolhi um brinquedinho. Plug anal de silicone, preto, com base e vibrador, tamanho 10,5 x 3,5 centímetros. Mostrei a ele. Sorriu. Voltei a ficar de quatro. Meia nove. Guto massageava-me no ânus enquanto lambia-me na vagina. Sua língua entrava-me gostoso! Seus dedos revelavam-me no clitóris. A ponta da língua balançava-o para lá e para cá. Estava muito gostoso… Eu enfiava o pintão na boca e sentia-o realizando-me no meio das pernas. Percebendo que eu estava bem relaxada, Guto lubrificou seus dedos e meu ânus. Enfiou-me, carinhosamente, seu dedo médio. Mexeu bastante. Estava gostoso! Depois, lubrificou o plug e novamente meu orifício anal. Posicionou a ponta do brinquedinho na portinha do meu cuzinho. Ligou o vibrador. Eu contraí a bundinha! Guto disse-me:
- Amor, relaxe! Solte a musculatura do ânus. Não irá lhe machucar. Para facilitar, faça força para abrir o ânus, como se você estivesse fazendo cocô. Assim que começar a entrar, você pode relaxar. Mas não contraia seu buraquinho.
Eu fiz do jeitinho que ele me disse. Deu certo. O brinquedinho entrou no meu buraquinho. (risos) Confesso que doeu um pouco. Nada que eu não pudesse aguentar. Guto introduziu-o lentamente. Para frente e só um pouquinho para trás. (para aliviar) O pulg anal é cônico. No final do corpo dele, encaixa-se no ânus. Só irá sair se puxarmos ou fizermos força para expeli-lo.
Guto lambia-me na xaninha. E eu chupava seu belo cacetão. Pediu-me:
- Amor, fique de quatro na beirada da cama?
Nem precisou pedir duas vezes! (risos) Engatinhei, com o plug vibrando no rabicó, e fiquei com os joelhos na borda da Box. Guto ficou atrás de mim, pés sobre o chão. Lubrificou-me na vagina e introduziu-me seu pintão. Que delícia! Ele segurava-me pela cintura e mandava ver. Eu estava sendo comida nos dois orifícios. À medida que ele me estocava na xana, seu corpo pressionava o plug dentro do meu cu. Eu sentia prazer tanto na vagina quanto no ânus. Naturalmente, as minhas musculaturas (da vagina e ânus) relaxaram. Ficou melhor ainda… Excelente troca de prazer! Gozei, algumas vezes, curtindo aquela sensação mágica. Bão demais!
Meus seios balançavam. Eu sentia meu corpo vibrando e proporcionando-me sensações únicas. Um estado de prazer intenso. Esfreguei-me no clitóris. Gozei barbaramente. Contrações vaginais intensas tremiam-me no quadril. Eu gemia como uma porca! (risos) Eu não queria saber de mais nada… Apenas fazer amor com meu maridão! Fiquei exausta… Nas nuvens! Meu corpo suava. Sentia pingos de suor do Guto nas minhas costas. No ânus, tinha a sensação de estar fazendo cocô. A diferença é que o plug estava fixo no meu rabo. Não sentia aquele alívio que sentimos quando as fezes saem. É mais ou menos isso. Mas é muito gostoso… Experimente!
Logo, Guto retirou o membro lambuzado da minha vagina. Depois, com carinho, retirou o plug do meu cuzinho. Alívio! Desligou-o. Deitou-se na cama. Estava suado. Abocanhei-o ao sabor dos meus líquidos. Sabor? Picante… Levemente salgado! Chupei-o no pau. Suguei-o na cabeça. Não demorou e espermas jorraram na minha boca. Engoli tudo. Minha garganta ficou ardidinha! (risos) Deitei-me ao lado do meu homem e descansamos realizados. Meus orifícios pulsavam! Adormecemos juntinhos sob edredom de algodão.
Eu amo meu marido. Guto também me ama. Fazemos loucuras juntos. Eu sempre me masturbo. Ele também. Conheço meu corpo melhor que ele. Na cama, entre quatro paredes, não temos pudor. Brincamos. Muitas vezes, a nossa tara é um se masturbar para o outro. Frente a frente. Se você que leu meu relato não tem companheiro (a), tudo bem! Treine seu corpo para quando estiver junto a alguém. Masturbe-se… Não use seus órgãos sexuais apenas para fazer xixi e cocô! Não espere encontrar seu prazer na outra pessoa. Encontre-o dentro de si. Conheça-se! Assim sendo, quando estiver com alguém, será bárbaro!
Pessoal, por hoje é só! Fique em paz e obrigado pela leitura. Beijos.

Minha esposa foi puta novamente num cine pornô

Novamente minha esposa fodida num cine pornô

Olá amigos, já faz algum tempo que não postamos nenhuma nova aventura aqui no site, a correria do trabalho acaba tomando boa parte do nosso tempo.
Para quem nunca leu nossos relatos, meu nome é Alberto, tenho 44 anos e sou casado com Lúcia, 40 anos, pele clarinha, 1,63m, 54kgs, cabelos loiros médios, olhos mel, seios empinados e durinhos e uma bunda muito gostosa.
O que vou contar é uma aventura real com muita sacanagem que rolou neste mês com minha esposa Lúcia e um colega num cinema pornô no centro de SP e que foi muito excitante
Um colega da empresa onde trabalho estava muito a fim de levar a namorada num cinema pornô e conversando disse a ele que já havia levado minha esposa e que ela adorou.
Ele ficou todo entusiasmado e na hora liguei para a Lúcia que topou ir com outro casal uma sessão pornô e marcamos no sábado, 10/9/11. O encontro ficou acertado na porta do cinema às 22:00h.
Quando chegamos o meu colega já nos esperava, minha esposa estava de cabelos escovados, batom cor de boca, unhas com francesinha e usava um vestido preto curto e justo, sem sutiem e que destacava suas pernas e coxas e realçava seus seios durinhos e por baixo uma minúscula calcinha quase dental que dava a impressão que ela nada usava, sandália alta e preta completava seu delicioso visual.
Nesta noite ela estava particularmente um tesão, com um belo sorriso, descontraída e simpática, e apesar dos seus 40 anos chamou a atenção do meu amigo e dos demais homens de plantão no hall do cinema.
Notamos que ele estava sozinho e ai ele nos contou que sua namorada desistiu de vir na hora “h”, e como estávamos todos excitados acabamos entrando os três.
Sendo sessão corrida, a sacanagem corria solta na telona do cinema, com um filme de gang bang, e também nas poltronas com caras batendo punheta ou comendo alguma puta, meu amigo ficou boquiaberto com que o via.
E mesmo antes de sentar-mos ele sem falar nada já foi puxando minha esposa para ele e lascando um longo e quente beijo na boca dela e ficaram de pé nos beijos e amassos com alguns caras assistindo.
Um cara e começou a passar a mão na bunda dela, fazendo carícias nas suas coxas, ela parecia que estava gostando mais meu amigo a puxou para o lado, pois parecia com mais ciúme dela do que eu.
Continuaram nos amassos, eu sentado numa poltrona e eles em pé na minha frente, eu passava a mão na bunda dela por baixo do vestido, levantando e mostrando parte da bunda dela e do fio dental.
Logo vieram dois rapazes bem jovens e ficaram parados ao lado contemplando e começaram a passar as mãos nela, dai falei para meu amigo deixa-los à vontade e mandar a Lu passar a mão neles também, ela prontamente atendeu ao pedido, pois estava muito excitada e quando ela passou a mão no pau dos rapazes por cima da calça eles ficavam loucos de tesão.
Meu amigo sentou-se na poltrona e a Lú sentou-se no colo dele, de frente para os rapazes, e meu amigo acariciando os seios dela por dentro do vestido.
Os rapazes estavam com seus cacetes para fora sendo punhetados pela minha querida esposa, os rapazes colocaram camisinha e minha esposa sentada no colo do meu amigo chupava com muito tesão as rolas dos dois desconhecidos, bem ao meu lado.
Percebi que minha gata estava muito excitada, fiquei de pé e a deixei chupando os rapazes, a cena era de um filme pornô, com a deliciosa diferença que minha esposa era a atriz principal.
Minha esposa ficou de pé e meu amigo enfiou a mão por baixo do vestido dela e foi baixando sua calcinha, depois a colocou apoiada na poltrona e mandou um dos rapazes penetra-la.
O garoto segurou-a pela cintura e já foi enfiando a rola na buceta dela arrancando vários gemidos de minha gata, pois o pau dele era bem grosso.
Meu amigo adorando a brincadeira baixou as alças do vestido dela oferecendo os seios da minha esposa para o outro mamar com muito tesão, a cena era alucinante, uma mistura de tesão, ciúme e excitação indescritível, meu amigo oferecendo minha esposa a dois estranhos e ela obedecendo.
Daí foi à vez do outro rapaz comer minha esposa, mais ousado a colocou no colo dele e a fez cavalgar no seu pau e depois a pegou por trás e comeu sua buceta enquanto pegava nos peitos dela.
A Lú gemia de prazer e pedia para ele fode-la mais, enquanto ela muito excitada que abraçava meu amigo com tesão, o beijava na boca e fazia carinhos em sua nuca, nesta hora confesso que fiquei com muito ciúme, mais é o preço que se paga por ser corno assumido.
Minha esposa sentou-se na poltrona, punhetou e chupou o pau dos dois rapazes até eles encherem suas camisinhas com muita porra.
Nesta altura havia vários homens em volta, assistindo e batendo punheta.
Então eu e meu amigo levamos minha esposa para o outro lado da sala que estava vazio e começamos a dar uns amassos nela, levantei seu vestido deixando aquela bunda lisinha, gostosa e sem calcinha exposta.
Meu amigo começou a passar a mão bunda dela também, e depois disputando comigo sua buceta toda meladinha, perguntei a ela se estava gostando e ela afirmou que sim, ela inclinada começou a me fazer um gostoso boquete, com seu rabo exposto e empinado para trás, eu já estava quase gozando quando meu amigo segura firme a cintura da minha esposa por trás e crava sua rola de vez na buceta dela, que aberta e molhada recebe todo o mastro dele apenas com um gemido sem tirar meu pau da sua boca.
Que tesão, não deu mais para segurar e enchi a boquinha da Lúcia com minha porra, ela engoliu todinha e depois me olhando com carinha de puta lambeu e deixou-o sequinho.
Sai para o lado e a deixei foder mais a vontade com meu amigo, que estava louquinho por ela desde que a viu chegar ao cinema.
Novamente fomos descobertos e alguns caras já estavam em volta assistindo e batendo punheta em homenagem a minha esposa.
Neste meio tempo minha esposa nua, somente de sandália, já tinha ordenhado sua quarta rola da noite, tirado e bebido toda a porra da rola do meu amigo, que era só sorriso.
Já estávamos no cinema há quase uma hora e ainda não tínhamos sentado para assistir o filme, que já havia terminado e recomeçado.
Antes que ela colocasse o vestido dois jovens que batiam punheta ao lado dela começaram a passar as mãos no seu corpo e um deles tocar com os dedos em sua buceta, que estava meladinha.
Ela me olhou e como nada a falei começou a chupar e punhetar um dos rapazes, chupava a rola como puta enquanto que com a bunda empinada para trás rebolava nos dedos do outro, fiquei muito excitado com a cena, depois ela alternava as chupadas entre os dois cacetes a sua disposição, pois se eu deixasse aqueles jovens iria arregaçá-la todinha, ainda mais sendo dois rapazes bem mais novos, do jeito que ela gosta.
Como minha esposa estava louca de tesão chupando com volúpia os dois jovens, resolvi deixa-la brincar com ele e fiquei ali vendo, junto com meu amigo a vendo chupar os rapazes, teve momentos que ela colocava as duas rolas na boca.
Ela virou-se de costas para os rapazes, apoiando-se na parede com a bunda empinada para eles, vendo que o estupro era inevitável neste momento ofereci camisinhas aos rapazes mais não foi necessário, pois eles mesmos tiraram as camisinhas dos bolsos e encaparam suas rolas um deles a penetrou de uma vez e começou a dar estocadas firmes na sua buceta, o que arrancava gemidos de minha gata, o outro se posicionou na frente dela e começou a acariciar e mamar nos seios dela, a cena era excitante um jovem, quase negro, com uma rola enorme estocando minha esposa com vontade e o outro mamando nos seios dela.
Ficaram assim por alguns minutos ai os rapazes trocaram de posição um deles colocou-se em pé ao lado de minha esposa deixando a sua disposição sua rola para ela chupar o jovem que a fodia gozou logo, pois ela rebolava muito em seu pau, o cara nem havia saído de dentro dela e o outro já se posicionou atrás dela e começou a fode-la, o rapaz negro era mais afoito, tinha mais pegada, seu pau mais grosso e seu ritmo era mais rápido, minha esposa gozou várias vezes na vara dele, ela estava adorando.
O rapaz começou a estocando-a por trás, depois a colocou sentada no seu colo e dava estocadas vigorosas em sua buceta, o rapaz negro era insaciável já havia fodido minha esposa várias posições mais ainda não tinha gozado continuava a meter seu cacetão dentro dela, com uma enorme platéia assistindo em volta deles.
Finalmente ele deu sinais que iria gozar e sai de dentro dela, e para minha surpresa minha esposa segura na jeba dele e como que extasiada por aquela enorme ferramenta negra em suas mãos, que poucas vezes experimentou, ela vai tirando a camisinha da rola enquanto a admira e acaricia, depois cai de boca nela mamando e punhetando-a, até ficar com rosto e os peitos melados com o leite branco e grosso que jorrava sobre ela daquele cacetão negro.
Depois ela foi ao toalete recompor-se e voltou vestida de cabelos penteados, bonita e sorridente, mais ainda sem calcinha que estava guardada no bolso do meu amigo.
Finalmente nos sentamos para ver o filme, ficamos sentados na penúltima fila com minha esposa entre nós.
O filme era sacanagem pura deixando-nos com mais tesão e começamos a beijar e dar amassos na Lúcia, depois de meia hora de filme seu vestido estava a seus pés e ela nuazinha na poltrona, ela punhetava nossos paus ao mesmo tempo quando duas mãos vindas da fila de trás acariciavam seus seios, olhei para trás com a intenção de mandá-lo parar com as carícias e qual não foi minha surpresa em ver que se tratava do rapaz negro que havia deixado-a louca de tesão hora antes, falei ao ouvido dela que sorriu entusiasmada, vendo seu interesse me ofereci para trocar de lugar com o rapaz e o convidei a sentar-se ao lado dela.
Ele prontamente aceitou e trocamos de lugar, mal se sentou já foi beijando e passando as mãos na minha esposa, Lúcia por sua vez pegou firme na ferramenta negra dele e começou a punheta-lo com força, o cacete dele estava enorme e mal cabia na mão dela que punhetava o rapaz e meu amigo ao mesmo tempo e revezava um gostoso boquete para os dois, enquanto eu por trás acariciava os seios dela, minha Lú parecia uma puta dessas que fazem ponto no centro da cidade.
Então ela me sussurrou que queria mito transar com o jovem negro novamente, mais que ali era complicado.
Fiquei louco de tesão em imaginar aquela enorme ferramenta negra dentro dela novamente e concordei em levantar-nos e procurar um lugar sossegado para ficarmos.
A Lúcia colocou o vestido e nos levantamos, passava da meia noite e o cinema estava mais vazio, fomos para o banheiro feminino e fechamos a porta, na luz pudemos ver que se tratava de um rapaz jovem, negro, bem apessoado e muito educado e que deveria ter uns 20 e poucos anos.
Ele puxou minha esposa para ele e a beijou na boca, foi tirando seu vestido e deixou-a nua, depois começou a acariciar e a mamar nos seus seios, enquanto tocava sua buceta com os dedos, ela muito excitada foi tirando as roupas dele ficando os dois pelados, ela pegou no cacetão dele e começou a mamar com muito tesão e quanto mais ela punhetava e chupava maior ele ficava, realmente era uma bela ferramenta negra.
Ela encapou a rola do rapaz, encostou-se na parede de frente para ele e começou a dedilhar sua buceta com os dedos e abrindo-a com os dedos ofereceu-se para ele que pegou ela de frente, meteu sua rola todinha dentro dela, até o saco dele colar no grelo dela fazendo-a gemer de tesão enquanto mamava nos peitos dela.
Meu amigo batendo uma punheta mal acreditava no que via e me perguntava como minha esposa agüentava tudo aquilo na buceta sem chorar.
Mudaram de posição e ele a pegou por trás e enquanto ele metia na buceta dela ela chupava o pau do meu amigo, depois trocou de pau e começou a mamar e punhetar o meu.
O rapaz a segurava forte pela cintura e fodia a buceta dela com muito tesão, deixando-a de recheio de sanduíche ora comigo ora com meu amigo, sempre com seu cacetão enterrado na buceta dela.
Mais na verdade eu não queria participar eu queria mesmo era assistir minha esposa foder com um rapaz negro bem dotado e afastei-me um pouco para curtir melhor
Eles tinham muitas opções de posições para trepar, e o rapaz fodeu minha esposa por um bom tempo de pé, com ela sentada na pia e em todas as posições possíveis dentro de um banheiro, fazendo-a gemer o tempo todo e ela acabou até tirando a sandália que era bem alta e ficando descalça para ficar mais confortável durante a trepada.
Meu amigo aproveitava os breves intervalos para também pegar minha esposa, mais o pau dele não conseguia mais preencher a buceta dela totalmente arregaçada pela ferramenta do rapaz.
Minha esposa ajoelhou-se na frente do rapaz, arrancou a camisinha do pau dele e começou a punhetar e mamar na rola negra.
Aproximei-me para apreciar a cena e ao ver aquela cabeçona negra brilhando não resisti e pedi que ele passeasse sua rola sem camisinha por todo o corpo da minha esposa, ela me olhou e sorriu, fechou os olhos e jogou o corpo para frente para que o rapaz passeasse sua rola pelo rosto, pelo pescoço dela, depois ela levantou-se e ele começou a passear sua rola pelos peitos e bicos duríssimos, pela barriga e pelas coxas dela, ele colocava sua rola entre as pernas dela e a esfregava em sua buceta, ela descalça e mais baixa que o rapaz ficava pendurada na rola dele passada entre as pernas dela.
Depois ela ficou de costas apoiada na pia com o corpo empinado para trás enquanto ele passeava sua rola pelas costas e pela bunda dela, dai colocou a rola novamente entre suas pernas, e ela foi abrindo mais as pernas para que o rapaz pincelasse seu grelo com a cabeça da rola dele, deixando-a louquinha de tesão.
A brincadeira chegou ao limite e o rapaz estava a um passo de empurrar sua ferramenta negra e sem camisinha para dentro da buceta da minha esposa, com meu tesão a mil, passei para frente dela, comecei a beijá-la e acaricio-la, ao mesmo tempo em que eu ia forçando seu corpo para trás de encontro ao corpo do rapaz, minha esposa me beijava de olhos fechados e dava pequenos gemidos ao sentir sua buceta sendo aos poucos penetrada pela rola e logo o rapaz já estava com sua ferramenta toda dentro da buceta da Lúcia.
Era um tesão de ver o contraste da virilha lisinha e totalmente depilada e a buceta rosada da minha esposa sendo penetrado por aquela enorme rola e sem camisinha ela parecia ainda mais negra.
Minha muito excitada pedindo que ele não gozasse dentro dela sem camisinha, mandou ele fode-la devagar, pois ela queria sentir as veias do pau dele, que eram grossas e salientes, pulsarem dentro dela.
Ele sentou-se no vaso sanitário e ela veio por cima cavalgando na rola dele, subindo descendo sobre ela, enquanto ele mamava nos seus seios, era um tesão ver aquela rola preta sem camisinha entrar e sair de dentro da buceta da minha esposa, com ela gemendo muito. Enquanto o rapaz a comia ela chupava a minha rola e do meu amigo, nesta altura estávamos todos pelados, e a Lúcia era o centro das atenções sendo sarrada por todos, eram seis mãos a percorrerem seu corpo por todas as partes, e três rolas preenchendo sua buceta.
O jovem negro voltou a meter na buceta da minha esposa novamente, mais logo ele saiu de dentro dela, colocou a rola em sua boquinha e descarregou uma grande quantidade de porra.
Nós também gozamos sobre ela e demos um banho completo de porra na minha esposa, nossa que tesão, o corpo da Lúcia todinho melado com a porra de três caralhos, até brilhava, ela encostou-se na pia, fechou os olhos e começou a acariciar seus seios, sua barriga sensualmente com as mãos, espalhando pelo seu corpo toda aquela porra, depois com as pernas entreabertas e me olhando com cara de puta, ela começou a acariciar sua buceta e a masturbar seu grelo com as pontas das unhas meladas de porra, daí eu a mandeiela enfiar os dedos na buceta e se masturbar e ela obedeceu, e mesmo com as unhas compridas ela enfiou três dedos em sua buceta e abrindo mais as pernas masturbou-se gemendo gostoso para nós, depois veio e esfregou-se como uma vadia nos três.
A cena é indescritível, não há como descrever a excitação que um corno assumido como eu sente vendo sua esposa numa sacanagem dessas.
Depois de nos recompormos, nos vestimos e saímos do cinema, já passava da 1:00h da manhã minha esposa com sua buceta fodida e o corpo melado de porra que exalava sexo.
Meu amigo dizendo que morava próximo ao centro, ofereceu para passarmos a noite na casa dele e como minha esposa estava precisando de um bom banho, cansada e louca para cair na cama aceitamos de bom grado.
Lógico que no dia seguinte esta gentileza do meu amigo custou caro para minha esposa, que acabou tendo que dar o cu para ele durante o café da manhã.
Abraços

Do virtual para o real parte i

Bom pra quem ja leu alguns dos meus contos,sabem que eu estava no virtual.Pois nas minhas ferias ao Brasil pude realizar o nosso desejo ,ou seja do Virtual para o Real.Sera dividido em 3 partes pois em um unico conto nao sera possivel relatar a linda historia que se tornou tudo.
Eu cheguei exatamente ao Brasil dia 19 De Agosto deste ano.Meu marido ja avia organizado uma viagen de 3 dias na qual eu nao iria.Aproveitei a situaçao e convidei meu amante para nos conhecermos em minha casa, no dia 22 ,ja que eu estaria sozinha.Pois bem dei folga a minha ajudante e fiquei a espera do meu grande amor,no qual combinamos as 11:00 Hrs.
Pontualmente ele me ligou e disse:Estou na porta da sua casa e neste momento meu coraçao ja saia pela boca e quase nao dei conta de apertar o controle do portao eletronico. Eu esva vestida com um vestido vermelho curto e decotado e com uma sandalia prata de salto,meu amor adentrou com seu carro minha garagen.Ele nao conceguia descer do carro e eu fiquei sem me morrer a espera dele na frente da porta do carro,enfim ele desceu e me deu o mais lindo e maravilhoso abraço(ficamos minutos so neste abraço)e logo em seguida ele me pegou com um longo e sonhado beijo.
Nossa nesta hora eu me perdi em seus braços ,nao tinha folego meu corpo queimava feito brasa.Um desejo louco nos consumia ,sem palavras adentramos minha casa e sem saber o que fazer ele me levou ate a sala e ja me agarrou ali mesmo passando a mao pela minha bunda e apertando loucamente,viramos dois animais selvagens na loucura de nos descobrirmos e de nos amarmos.Ali mesmo ele foi me despindo e percorrendo a lingua em meu corpo e me colocou no sofa e eu pude sentir seu corpo quente sobre o meu,nao demorou muito com sua lingua em meu corpo ele achou a minha bucetinha que estava lizinha a espera dele,nossa eu estava tao molhada e neste momento meu amor sugou com toda sua força o necta que jorrava de mim,era um tesao incontrolavel e gozei deliciosamente em sua boca,nao me contendo a loucura de telo dentro de mim o levei para meu quarto.Pedi para ele deixar eu sentir aquele cacete que estava a saltar da calça de tao duro que estava. Eu com carinho o ajudei a se despir,nossa que corpo lindo uma bunda e umas pernas que me encantaram,de novo me vi completamente perdida por este homem.Foi entao que ele me beijou novamente com muito desejo e eu pude sentir seu penis latejando em minhas maos.Ele se deitou em cima de mim e eu emplorei pra que ele me penetrasse naquele momento mas ele queria me ver em erupçao de desejo por ele e novamente caiu com sua lingua quente e macia sobre meu corpo hummmm fui as nuvens e voltei em questao de segundos. Eu estava sem sexo a mais de 3 meses pois meu marido nao gosta muito da coisa kk.E entao meu amor pode se deliciar comigo,neste momente ele colocou so a cabecinha do penis em mim e eu emplorei pra que ele colocasse tudo e foi entao que ele resolveu fazer de mim sua presa na boca de um tigre,sem do ele enfiou tudo de uma vez e eu gritei de prazer e dor ao memso tempo. Me senti naquele momento uma mulher perdendo a virgindade a primeira vez nos braços do meu amor.Ficamos num vai e vem maravilhoso e eu gozei feito louca naquele penis que é uma loucura de gostoso, eu pedi em seguida pra que meu amor naquele momento gozasse pra mim pois queria sentir aquele homem todinho em mim se entregando ao nosso delicioso prazer e assim ele fez, gozou como louco em minhas entranhas e me fazendo sua mulher naquela hora.
Ficamos imovel por um bom tempo so sentindo nossos coraçoes e nossas respiraçoes ofegantes,em seguida fomos tomar um banho e nao demorou muito pro desejo de novo nos consumir e eu o levei pra copa onde o sentei em uma cadeira e me deliciei cavalgando naquele maravilhoso cacete,ali meu amor pode me possuir novamente e fou uma loucura de novo,fiquei de costas para ele e isso o deixa louco de tesao eu sentindo isso decia e subia num prazer pouco suas maos deslizavam meu corpo sua boca me mordia bem devagar a nuca eu me senti uma cadela no cio esfregando no cacete do meu amor,gozei como nunca tinha gozado na minha vida,nesta hora meu amor me levou d evolta para o sofa e foi ate o carro,tarzendo uma corda e prendedores hummmm ,isso foi uma loucuro derrepente me vi sua prisioneira nas suas fantasias.Ele me prendeu as maos e começou a prender o bico dos meus seios era dor e tesao ao mesmo tempo,me senti sua escrava naquele momento pra mim uma situaçao nova mas que me dava um imenso desejo e prazer,me entreguei a este homem deixando ele me possuir como ele gosta e assim nos perdemos de novo em um gostoso e maravilhoso gozo.Passamos horas assim nos amando nos entregando ate que a fome nos pegou e saimos pra comer alguma coisa.Bom a segunda parte eu contarei no proximo capitulo,pois eu fiz a reserva de uma noite em um Motel e com tudo especialmente preparado para este homem que me leva as nuvens e me faz ver estrelas e entrar em erupçao fulcanica me dando o prazer mais puro e digo mais um homem que sabe me dar prazer como nenhum outro foi capaz.Este conto meu amor é pra vc .De sua pedra preciosa Safira.

Nosxela e ele

Oi gente olha nos aqui de novo ,depois de mais um longo tempo mais cheio de vontade de escrever e contar outra aventura das boas ,bem como todos ja leram em outros contos ,sabem que somos um casal ativoa qualquer modalidade de aventura desde swuing ao menagem masculino e feminino ,e numa boa tarde destas da vida estavamos em casa eu e minha esposa ,quando uma amiga nossa que e do nosso convivio nos liga ,perguntando se estavamos de boa ,dissemos que sim e ai ela pergunta se poderiamos recebe-la com um amigo ,estranhamos ,pois sabemos que Marcia e Julho tambemeram liberais como agente e ate que saiam sozinhos mas com agente nunca tinha rolado ,porem ela nos acalmou dizendo que Julho estava trabalhando ,e Fernando era o mais novo amigo de foda do casal ,portanto não teria nenhum problema com Julho.Claro demos o aval para Marcia ir ate nossa casa com seu amigo Fernando que est6ariamos esperando por eles ,minha mulher ficou super alegre pois Marcia e bi ativa e passiva como ela e as duas se entendiam bem numa cama .Não demorou muito e Marcia chega com Fernando ,Marcia nossa amiga como sempre tava muito gostosa de minisaia ,meia calça trançada e de salto alto e com uma brusa coladinha no corpo que nos permitia visualisar seus peitinhos pequenos tipo pera mais apetitosos,Fernando um cara branco simpatico e muito conversado ,depois das apresentações e Marcia dizer que Fernando era frequentador de sua casa com Julho e ela juntos ficamos mais avontade,e dana falar besteiras ate que não demorou muito e Marcia ja começou a asediar minha mulher dizendo que tinha tempo que ela não chupava uma bucetinha ,minha mulher ja puchou Marcia para o quarto nos deixando plantados na sala dizendo que era pra gente dar um tempo pra elas se curtirem ,depois de mais ou menos quarenta minutos que elas estavam transando chegamos para interar a festa ,minha mulher tava chupando Marcia gostoso que gemia como uma putinha no cio e dizia que ja tinha gosado umas tres vezes na boquinha de minha mulher que ela chupava muito gostoso ,dai endiante pra não estragar a festa coloquei minha pica na boca de Marcia que passou a me chupar gostoso ,era demais ,Fernando não perdeu tempo e caiu de boca na xota de minha putinha que adorou a agilidade da lingua de Fernando em seu grelinho ,era uma sintonia bacana,Fernando chupano minha mulher que chupava a xana de Marcia que me chupava gostoso era demais aquele ritual ,depois de mais um tempo se chupando desmanchamos aquele enrosco e comecei a chupar tambem a bucetinha de Marcia que não parava de gosar um so istante a filha da puta parecia que estava mijando aos pingos era uma delicia o seu melsinho ,neste mesmo momento minha putinha fazia um boquete e tanto em Fernando que de olhos fechados curtia e gemia gostoso,porem eu logo coloquei Marcia de barriga pra cima e mandei pica naquela putinha que gemia gostoso e pedia mais e mais ,minha mulher tambem não se contentou e ficou de quatro mandando Fernando meter gostoso na sua xaninha que pingava de tesão ,fernando meteu a picona nela que gemia e rebolava muito na vara de Fernando ,tudo aquilo tava demais ate que Marcia fala no meu ouvido que tava na hora dela tomar rola no cusinho eu fiquei doido e não perdi tempo coloquei nossa amiga de quatro quando ia começar a penetrar ela ela me pede pra chupar seu cusinho primeiro ,ela adorava uma linguinha no cusinho e comigo pedido de mulher é uma ordem cai de lingua naquele rabinho gostoso ouvindo ela gemer dizendo que tava gostoso ,bem depois dessa linguada parti para a penetração ainda passei um gelsinho no rabinho dela e entrei gostoso huuuuummmmmmmm,entro tudo bem gostoso Marcia rebolava como uma serpente tava gostoso demais aquele cusinho ,enquanto eu fudia seu cusinho ela mexia gostosamente no seu grelinho era contagiante aquela sintonia que nos dava mais tesão ainda,o quarto cheirava puro sexo ,nosso amigo Fernando tambem passou a enrabar minha mulher gostosamente que rebolava na pica dele e dizia que tava muito gostoso que Fernando sabia comer ela muito gostoso que ele tinha uma pica maravilhosa ,e pedia a amiga que sempre que puder ela emprestar aquela pica gostosa pra ela ,Marcia espetada na minha pica de quatro e de frente com minha mulher dizia que sim e beijava a boca de minha mulher gostoso como se estivesem selando um trato era demais tudo aquilo não demorou muito e gosamos um aum gostosamente ,demos uma descansada daquela maratona e logo ,logo Marcia resolveu dar mais um pouco de cusinho pra Fernando que comeu ela gostoso e eu claro tambem enrabei minha mulher gostosamente que tava tesuad como ela só ,como ja estava tarde da noite Fernando e Marcia resolveram ir embora prometendo voltar qualquer dia na volta deles ou so de Fernando volto aqui pra contar pra voces como foi a praxima foda ,espero que gostem e votem,abraços a todos .