Aprendendo a dirigir com meu tio.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading ... Loading ...

Meu nome é Regina, e vou tentar resumir um pouco o início deste conto pra chegar logo à parte que interessa. Moro numa cidade de pouco mais de 20 mil habitantes, onde meu pai na época era o prefeito. Meu tio Elias (58 anos); irmão do meu pai, que foi o delegado da cidade até se aposentar, foi quem incentivou meu pai entrar pra política (vereador) sendo seu melhor cabo eleitoral já que todos na cidade o respeitavam como um homem honesto e íntegro. Tio Elias após se aposentar passou a ser praticamente o motorista e o guarda-costas do prefeito; que continuava sendo meu pai (seu segundo mandato). Cidade muito pequena e pouco desenvolvida ainda, o povo tinha que ir pra cidade vizinha; a 60 km, pra fazer muitas coisas; inclusive faculdade. Ao passar pra faculdade, meu pai fez questão de que eu aprendesse a dirigir pra poder me dar um carro de presente. Como na cidade nem tinha autoescola; eu teria que também ir pra cidade vizinha, meu pai pediu pra que meu tio Elias me desse alguns treinamentos pra não ter que ficar só dependendo das aulas na autoescola pra tirar minha carteira. Íamos cedo até a Prefeitura, e enquanto meu pai ficava despachando tio Elias com o carro particular do meu pai me levava pras estradas com pouco movimento (existia muitas) pra me ensinar a dirigir. Tudo corria bem; já estava guiando com bastante firmeza, quando num dia sem nenhuma maldade fui pra treinar vestindo uma saia muito curta… Só me dei conta quando fazia qualquer movimento e minha calcinha aparecia. Tio Elias vendo meu constrangimento tentando puxar a saia constantemente.
- Não precisa ficar preocupada cobrindo sua calcinha toda hora, já que estamos só nos dois aqui no carro.
Criada numa cidade tão pequena, onde até os rapazes tinham medo de avançar nos namoros e só ficavam nos beijinhos na boca e no máximo passando a mão nas partes íntimas das meninas; eu, apesar da idade ainda era virgem e tinha muitas fantasias sexuais na minha cabeça… Resolvi deixar de me importar de mostrar minha calcinha pro meu tio; na realidade passei a gostar que cheguei em casa com a calcinha bastante molhada. No dia seguinte coloquei uma calcinha transparente, mas vesti uma saia um pouco mais comprida… Não queria que meu pai desconfiasse de alguma coisa.
Ao chegarmos no local onde eu deveria pegar o volante e vendo que o tio Elias saiu do carro mas ficou na porta me olhando, passei minha perna por cima do console e procurei ficar o máximo com as pernas abertas pra que ele olhasse pra minha calcinha… Ele dando a volta e entrando pelo lado do carona.
- Tá com calcinha transparente?
Eu fingindo surpresa.
- Você viu?
Ele sorrindo.
- Já disse que você não precisa ficar preocupada comigo quando eu ver sua calcinha né?
Foi minha vez de sorrir.
- Tá bom tio… Não vou mais me preocupar.
Senti um arrepio percorrer todo meu corpo quando ele levou a mão e passou na minha coxa.
- Você tem pernas muito bonitas Regina… Fico imaginando como deve ser sua bucetinha.
Fiquei realmente surpresa.
- Que isso tio? Sou uma menina muito direita, viu?
- Sei disso Regina, mas qual o problema de você tirar a calcinha e deixar ver sua bucetinha?
Um fogo foi me consumindo por dentro enquanto pensava um monte de besteiras.
- Nunca deixei ninguém ver minha bucetinha tio!
- Não vai me dizer que você ainda é virgem?
Engoli em seco vendo que tinha falado demais… Mas resolvi sustentar.
- Sou sim!…
- Caramba Regina… Mas se você me mostrar, prometo que só vou passar o dedo pra fazer carinho.
Eu que já tinha deixado muitas vezes um garoto que estudava comigo no ensino fundamental ficar passando só o dedo na minha xota que cheguei a ter até orgasmos.
- Mas aqui na estrada é muito perigoso tio.
- Vamos lá pra aquela estrada que fica naquele morro; de lá dá pra ver qualquer carro se aproximar.
Tio Elias tornou a tomar a direção do carro e chegamos no topo do morro onde não existia viva alma e dava pra gente ter uma boa visão de qualquer carro que viesse subir o morro. Ele empurrando minha saia pra cima segurou minha calcinha, tirou e guardou-a no porta-luvas. Me fez ficar com minhas costas encostada na porta com minhas pernas dobradas pra cima e passando a mão na minha buceta.
- Como é linda Regina… Deixa dar uma chupadinha nela, deixa?
Eu sabia que tudo aquilo era uma loucura, mas acabei aceitando irmos pro banco de trás. Deitando no banco de pernas abertas, ele de pé do lado de fora foi debruçando até chegar com a boca na minha xota… Simplesmente fui nas nuvens quando senti sua língua quente e viril passando no meio da minha racha. Ela passando a língua, chupando e mordiscando me fez ter um orgasmo que quase desfaleci de tanto prazer. Só que tive que retribuir… Ele arriou suas calças me mostrando seu pau que estava duríssimo. Eu que só tinha visto daquele mesmo garoto quando ele me pedia pra masturba-lo, achei o pau do meu tio (que era normal) bastante bonito e grande.
- Chupa ele um pouquinho Regina, chupa!
Eu que só tinha ouvido falar em sexo oral, tinha acabado de ser chupada e estava pronta pra fazer meu primeiro boquete. Foi a vez dele ficar sentado no banco e eu de pé arquear meu corpo pra chegar com a minha boca no seu pau. Minha vontade foi tão grande que em poucos minutos eu estava mamando como se já tivesse bastante experiência no assunto.
- Puta-que-pariu Regina; você chupa muito gostoso… Vai! Vai! Ooooohhhh!
Engasguei com o primeiro jato batendo no bundo da minha garganta… Tirei rapidamente e enquanto ele continuava gozando pra fora do carro acabei engolindo o pouco que caiu dentro da minha boca.
Voltei dirigindo numa felicidade enorme por meu tio ter-me feito gozar com sua língua, e por ter adorado chupar seu pau. No dia seguinte fizemos tudo do mesmo jeitinho… A diferença foi que tio Elias antes de chupar minha bucetinha mamou muito nos meus peitinhos e me beijou muito na boca me fazendo prometer deixar ele ser o primeiro a meter na minha xoxota quando sentisse vontade. Vontade eu já estava tendo desde a primeira vez que vi seu pinto duro na minha frente. Ao ficar três dias seguidos sem sair pra treinar com meu tio, comecei a pensar que já estava na hora de perder meu celinho… Afinal de contas eu já não era nenhuma menininha inocente. Estávamos no banco de trás no maior agarramento, ele beijando muito minha boca e eu com a mão no seu pau duro.
- Ah tio; estou com vontade de me entregar pra você hoje.
- Tem certeza Regina? Não vai se arrepender depois?
Tio Elias passou a esfregar seu pau duro no meio da minha pequena bucetinha fechada enquanto eu ia pensando de como seria querer transar pela primeira vez com algum namorado e ele descobrir que eu já não era mais virgem. Senti a cabeça do pau alargando a entrada da minha xoxota.
- Não tio! Para! Para!…
- Porra Regina… Agora que eu já estava quase conseguindo?
- Desculpa-me tio; é que comecei a sentir medo.
- Pelo menos deixa colocar na sua bundinha!
Era um modo que ainda nem tinha passado pela minha cabeça; transar pela bundinha… Mas achei que não podia decepcionar novamente meu tio. Concordei e ele me fez ficar de quatro com minha bunda virada pra fora do carro. Após molhar meu ânus e também seu pau com saliva, encostou, empurrou e me fez tentar fugir quando senti seu pau arrombando meu ânus… Gritei um pouquinho, mas logo fui acostumando e gostando de sentir aquela coisa dura indo e vindo dentro da minha bundinha que estranhamente acabei tendo um orgasmo ao mesmo tempo que ele gozava dentro de mim. Tio Elias ficou quase duas semanas sem poder sair comigo… Ele e meu pai estavam resolvendo vários problemas na prefeitura antes do meu pai viajar pra Brasília. Achei que ficaria muito mais dias sem treinar com meu tio achando que ele ia viajar com meu pai… Mas, pra minha felicidade, só minha mãe quem foi com meu pai pra Brasília. No dia seguinte tio Elias me ligou dizendo que ia me pegar em casa pra treinarmos um pouco. Sozinha em casa comecei a idealizar que eu e o tio poderíamos ficar muito mais a vontade dentro de casa sem medo de alguém aparecer de repente. Tomei um rápido banho e joguei um vestido por cima do corpo sem me preocupar em vestir calcinha e sutiã… Minha intensão era deixar meu tio me ver pela primeira vez totalmente pelada. Ele também já chegou com más intensões… Entrou na sala, trancou a porta e foi me agarrando, beijando, levantando meu vestido e descobrindo que eu estava sem calcinha.
- Hummm sua danadinha; pelo jeito hoje também não vamos treinar né?
- Não tio… Hoje eu quero ir pra cama com você!
- Hoje você vai deixar?
Era como se minha bucetinha estivesse pegando fogo de tanto desejo.
- Vou tio… Quero ser tua por completo!
Chegamos no meu quarto e tio Elias tirou meu vestido me deixando peladinha.
- Você é maravilhosa Regina… É a menina mais linda dessa cidade.
Sabia que ele estava exagerando… Nunca fui nenhuma miss de beleza; mas tinha um corpo todo certinho: loirinha, peitinhos médios, bundinha arrebitada e coxas grossas. Enquanto ele foi tirando a camisa fui abrindo avidamente sua calça até ter aquele lindo e gostoso pau na minha mão imaginando ele todo dentro da minha xoxotinha. Deitei e fiquei vendo-o se livrar das calças e começar a vestir seu pinto com uma camisinha. Beijou, chupou meus peitinhos, beijou muito minha boca e colocando um travesseiro debaixo da minha bunda direcionou seu pau pra minha bucetinha. Fiquei tensa quando senti a cabeça do pau encostando no meu buraquinho virgem. Bastou tio Elias forçar um pouco pra sentir uma queimação… Era meu cabaço que estava sendo violado.
- Aaaaiiii! Aaaaaiiiii! Tira! Tira!…
Tio Elias praticamente deitado sobre meu corpo me abraçando e sorrindo pra mim com parte do seu pau parado dentro da minha ardida bucetinha.
- Você agora é uma mulher de verdade Regina… Não vai mais ficar preocupada por ainda ser virgem.
Realmente ser virgem com mais de 18 anos era um peso que eu carregava morando naquela cidade toda cheia de preconceitos. Mesmo sentindo um pouco de dor pedi pra continuar metendo na minha bucetinha. Senti empurrando o restante do seu pau e começar um vai-e-vem que me arrancava gritos e gritos de prazer misturados com a satisfação de me sentir mulher debaixo de um homem como meu tio Elias… Que delícia ter um orgasmo trepando pela xoxota. Tio Elias passou o dia inteiro comigo… Comeu minha bundinha, gozou na minha boca e começava a anoitecer quando ele antes de ir embora me vez novamente urrar de prazer metendo novamente na minha xoxota. Até tirar minha carteira e ter meu próprio carro transei muito como tio Elias. Atualmente estou no quarto período da faculdade e namorando um empresário da cidade vizinha… Mas ainda sinto um prazer enorme em transar com meu tio Elias.

Você pode deixar uma resposta, ou trackback de seu próprio site.

Deixe uma resposta