Liliane, putinha: fudendo gostoso em roraima

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading ... Loading ...

Relato que passo a narrar para vocês agora foi protagonizado pela minha amiga putinha Liliane, que pediu para eu compartilhar com tod@s vocês, espero que se deliciem como eu me deliciei. Eis o relato:

?Oi meu gostoso, como tem passado? Estou aqui para te falar de uma das minha melhores transas, ou se não foi a melhor, rsrsrsrs…

Há um tempo conheci um homem casado no bate papo, já havia até pensado em excluir ele do meu MSN, porque eu não o via mais online, mas para minha surpresa recentemente ele entrou e perguntou como eu estava e depois de um bom papo perguntou se eu não queria sair com ele?

Na hora aceitei, porque me amarei transar a primeira vez com ele, combinamos de nos encontrar perto da minha casa. Vesti uma calcinha bem enfiadinha no rabinho e na buceta, ao chegar ao carro dele dei uma boa noite e um beijo, logo que funcionou o carro ele já foi passando a mão nas minhas pernas e eu abria cada vez mais pra sentir o toque dos seus dedos na minha bucetinha.

Ele disse: tire a calcinha putinha. E eu tirei. Ao ver a minha calcinha fio dental ele disse humm e disse que ao chegar lá na sua casa queria que eu vestisse novamente para ele, então fomos conversando e ao mesmo tempo ele metia o dedinho na minha bucetinha, que estava ensopada e no cuzinho, estava uma delicia. Amava aquele homem me tocar, passei a mão no seu cacete estava uma delicia de duro, mas como ele estava dirigindo parei.

Ao chegar na casa, ele já foi tirando a roupa e no carro mesmo vesti a calcinha e ao descer ele já foi me virando de costas e esfregando o seu cacete duro em meu rabinho, levantou minha saia e puxou minha calcinha de lado, se abaixou e começou a passar a língua e chupar meu cuzinho, nossa que homem, isso tudo ainda na garagem da casa dele, muito arriscado, mas também muito excitante. Depois me virei e o beijei bem gostoso aquele safado. Agora Fo ia minha vez de me abaixar e pegar aquele cacete duro, que já estava babando, pingando, de tão excitado que ele estava. Chupei bem gostoso para retribuir o carinho que ele fez ao meu cuzinho. Percorria toda a sua extensão, enfiando na boca, até a garganta, engolindo tudo, chupando as bolas, sugando a cabecinha, ele já estava quase gozando.

Então decidimos entrar na casa, ele logo me puxou para um dos quartos e me empurrou na cama, ao deitar fui logo continuando com o trato especial no seu cacete e em seu corpo todo, só de imaginar me excito facilmente, fico toda molhada, com a buceta babando.

Ele falava: – Que boca gostosa a minha putinha tem. Hummm…

Quanto mais ele falava, mais eu me excitava e caprichava nas chupadas, ele então me beijou e disse que agora era sua vez. Foi descendo com a sua língua pelo meu corpo, minha barriga, meu umbigo, enfiando a língua, abriu minhas pernas e me deixou toda arreganhada, bem abertinha e caiu de língua em minha bucetona, percorrendo toda a sua extensão, sugava gostoso o meu grelinho, apertando com os lábios, me fazendo gemer e gritar de tesão, enfiava os dedos em minha buceta, enfiava a língua, depois passou a língua em meu cuzinho e que piscava de tanto tesão, enfiou a língua em meu cuzinho, eu gritava e pedia para o safado me fuder, o prazer era muito grande, a minha buceta estava encharcada com o meu mel.

Eu dizia: – Fode a sua putinha vai, fode a sua cadela, sua vagabunda, vai meu cachorro. Tarado safado…

Ele me colocou de quatro e meteu com força em minha buceta gulosa, enfiava os dedos em meu cuzinho, me dava tapas na bunda, me puxava os cabelos e metia com força, eu urrava de prazer, gemia muito e assim nesse frenesi, ele inundou a minha buceta com sua porra quentinha que ficou escorrendo. Em seguida ele chupou a minha buceta, limpando a sua porra que escorria dela. Depois fomos tomar banho.

Voltamos e começamos a nos acariciar, ele me colocou de quatro novamente e passou a língua em meu cuzinho, eu piscava e me arrepiava toda, pediu para eu chupar o seu cacete, eu como boa e obediente puta o chupei, deixando o seu cacete pronto para fuder o meu cuzinho apertado. Ele colocou a cabeça na entradinha de meu cuzinho e foi metendo, eu sentir dor e contrai o cuzinho, ele disse que era para a sua puta se comportar direitinho ou ele meteria com força, eu obedeci e relaxei, ele colocou a cabeça na entrada do cuzinho e foi metendo, eu gemendo e dizendo que estava doendo, mas que queria ser enrrabada por meu cachorro, meu safado. Ele meteu com força e o cacete entrou todo em meu cuzinho, eu comecei a rebolar gostoso, ele dava tapas em meu bumbum, alisava meu grelinho, me puxava os cabelos, eu delirava de prazer, que delícia ser fudida por aquele macho tarado, safado. E assim metendo com força mais uma vez gozamos e ele inundou o meu rabinho de porra, que ficou escorrendo. Fiquei exausta de tanto ser fudida no cuzinho.

Relaxamos um pouco e fomos tomar outro banho. No banho já começamos a nos acariciar, eu fui passar sabão em suas costas, fui descendo pela sua bunda e aproveitei para passar o dedo em seu cuzinho, notei que ele gostou e enfiei um pouco o dedo em seu rabinho, adoro enfiar os dedos, passar a língua no cuzinho do parceiro, me dá muito prazer. O seu cacete logo de usinais de vida e fomos para o quarto ainda molhados.

Ele veio por cima de mim e meteu com força em minha buceta, era gostoso ver a sua expressão de prazer, ele gemia, eu apertava seu corpo com minhas pernas em suas costas e ele metia bem fundo em minha buceta gulosa, me chupava os seios e eu aproveitava para passar e introduzir um dedo em seu cuzinho, ele me chamava de puta, cadela, cachorra, ele gemia muito junto comigo, metia forte, com força e assim gozamos mais uma vez.

Deixei o quarto na penumbra e com ele bem relaxado eu aproveitei para fazer o que estava desejando, passei a língua em suas costas e fui descendo até chegar a sua bunda, afastei-a, deixando bem arreganhada e meti a língua em seu cuzinho, ele gemeu, estava bem relaxado, cansado de tanto fuder, mas com os toques de minha língua em seu cuzinho o seu cacete foi dando sinal de vida, eu tirava a língua e enfiava o dedo, tirava o dedo e enfiava a língua, alisava o seu cacete duro, eu chupava as bolas, por trás, passava a língua, acariciava os seus peitos, barriga, enfiava o dedo em seu cuzinho, sentindo cada parte de seu corpo, minha língua estava quente e macia, o cacete em ponto de bala novamente.

Chamei-o para ir paro o banheiro, pois queria fuder em baixo do chuveiro, chegando lá liguei o chuveiro e passei o sabonete em seu corpo fui descendo até o cuzinho, ele gemia me excitando ainda mais, me abaixei e ele abriu mais as pernas e ficou meio curvado, deixando exposto o cuzinho delicioso, o que mais me deixava louca era a água caindo em nossos corpos, eu enfiando a língua em seu cuzinho e chupando o seu cacete, nada melhor do que chupar um cacete e um cuzinho debaixo de um chuveiro e como era gostoso chupar o dele. Ele disse que ia gozar e eu cai de boca e pedi para ele encher a minha boca e meu rosto de porra, ele gozou gostoso.

Retornamos ao quarto e ao deitar na cama ele falou:

- Agora sim sou um homem realizado.

Beijamos-nos, relaxamos um pouco e em seguida ele foi me deixar de volta em casa. Fui tomar um banho e gozei novamente alisando o grelinho duro e lembrando-se de tudo que havíamos feito.

Meu Sr. Fetiche, amei essa transa por ter me sentido muito desejada, realizada, desejada. Beijos carinhosos de sua putinha.?

Esse foi o relato de minha putinha safada Liliane, que mora no estado de Roraima e caso algum homem, mulher ou casal de lá deseje manter contato com a mesma é só fazer contato comigo que passo o e-mail/MSN dela. Estou enviando também umas fotos que minha putinha pediu. Fico no aguardo e uma boa leitura do relato com muito prazer para vocês.

Moro em Natal-RN, tenho 42 anos e se alguém desejar manter contato para realizarmos algumas de nossas fantasias será um prazer.

Você pode deixar uma resposta, ou trackback de seu próprio site.

Deixe uma resposta