Fui comer e acabei sendo comido pelo garotinho

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 3,00 out of 5)
Loading ... Loading ...

Fui comer e acabei sendo comido pelo garotinho

Olá, meu nome é Bruno, tenho 23 anos, 1,75m, 76kg, pele morena-clara, cabelos e olhos castanho escuros. Estava eu sozinho um dia em casa, quando em um ataque de imenso tesão pra comer um cú, resolvi entrar pela primeira vez em um bate-papo gay via web. Entrei na sala da minha cidade e fiquei na minha. Logo um rapaz com apelido de robin veio puxar conversa. Pela descrição ele parecia até gostosinho, nada efeminado, e bem jovem, apenas 17 anos. Eu como estava louco pra comer um cú, não dificultei nada e fui logo conversando mais. Seu nome era na verdade Roberto. Ele era passivo e não era sua primeira vez, me deu uma descrição mais detalhada e logo fiquei sabendo mais do q precisava. Em certo ponto ele me disse que estava sozinho em casa, pois seus pais tinha viajado para as férias e ele tinha ficado sozinho para trás. Era a chance da minha vida, falei que em poucos minutos estaria lá e não deu outra. Me aprontei rapidinho imaginando aquela bunda novinha pronta pra ser deflorada.

Corri com meu carro como um louco pra lá. Ao chegar na casa dele (nada modesta por sinal) me deparo com algo BEM MELHOR do que esperava. Ele era loirinho, novinho, pouco mais baixo que eu, pele branca, olhos claros, magro, mas parecia ter uma bundinha de dar inveja a muita mocinha da idade dele. Um viadinho até gostoso, mas, nem me interessava, faria qualquer coisa pra comer esse garoto, que além de tudo parecia modelo de revista. Fui entrando e a gente mal trocou algumas palavras tímidas e já deixamos bem claro o tesão, ele veio me beijando. Não estava acostumado mas ele beijava muito bem me pegando de surpresa. Já fomos nos pegando no sofá da sala mesmo, até que ambos com os cacetes totalmente duros fomos correndo para a cama de casal de seus pais. Não demorei nada para arrancar as calças e logo que ele viu, caiu de boca no meu cacete, que não é grande mas é bastante grosso. Por incrível que pareça, foi o melhor boquete da minha vida. Ele beijava, lambia, chupava como ninguém. Não aguentei muito tempo e fui arrancando a roupa dele. Ele foi virando de bruços e então eu tive a visão do paraíso. Uma bundinha lisinha, redondinha, macia e carnuda esperando por mim. Era demais pra mim. Aquele garotinho gostoso, tesudo e com aquela bundinha pronta pra ser devastada. Já fui chupando seu cuzinho que estava cheirosinho e bem preparado pra mim. Quando fiz menção de querer partir pra meterola, ele logo pulou da cama e rapidamente em uma das gavetas de seus pais tirou um tubo de KY. Melei meu pau e brinquei com um dedo em seu cuzinho, melando a entradinha enquanto ele começava a gemer. Ele já começava a rebolar no meu dedo, estava adorando. \”Vai devagarinho\” ele disse de bruços na cama. Mal comecei a colocar a cabecinhae já enfiei tudo de uma vez. Ele começou com um gemido mais alto e terminou em um urro. Fiquei um tempinho para ele se acostumar enquanto beijava e lambia sua nuca branquinha. Mas, como meu pau não era gigante (apesar de ser grosso e fazer um estrago) não demorou muito para ele começar a rebolar nele. Foi definitivamete o melhor cú da minha vida, sem dúvida. Lá estava eu empalando aquela jovem bundinha com força, começando a estocar violentamente, ele gemendo como uma putinha \”vai, me come gostoso, come sua putinha, arregaça meu cuzinho, ai, ai, pau gostoso\”. Foi só começar a gemer e falar a putaria que não demorou muito para eu gozar e encher o cuzinho dele de porra. Cai sobre ele totalmente ofegante e cansado. Quando meu pau começou a amolecer, fui saindo de dentro dele e quando fui deitando na cama ele já exclamou \”Não senhor, quero mais\”.

Ele estava insaciável, começou a me chupar tentando me reanimar, e não é que o boquete perfeito deu certo ? Meu pau meia-bomba foi ficando duro como pedra de novo, era uma loucura. Mas o mais insano ainda estava por vir. Em certo momento, quanto eu já estava cheio de tesão novamente, ele pega e inesperadamente enfia um dedo no meu cú. Até então meu cuzinho era virgem, e foi um susto, mas um susto bom. Logo estava sentindo ele massagear meu cuzinho com o dedo enquanto me chupava. Aquilo era um delírio, eu estava com mais tesão e confuso ao mesmo tempo. Depois de um tempo ele teve a coragem de enfiar mais um dedo. Eu começava a gemer e não acreditava mas queria ainda mais. Ele de pau totalmente duro e ainda sem gozar virou pra mim e sussurrou no meu ouvido \”vou te mostrar o quanto é bom\” e eu já havia perdido toda minha inibição e estava ao mesmo tempo curioso e confuso. Ele me pôs de quatro e dale KY no pau e nos meu cuzinho até agora virgem. Seu pau era ainda menor que o meu, então não fiquei com tanto medo. Acho que por isso não doeu tanto quando disseram que doeria, talvez também porque ele já havia me preparado com os dedos. Ele enfiou tudo de uma vez, e a dorzinha foi pouca e logo eu tava louco de tesão. A sensação era indescritível, de ser preenchido pelo cú. Aquela vara foi logo entrando e saindo devagarinho e eu então comecei a ir ao delírio, de quatro como uma putinha no cio. Quando menos esperava lá estava eu rebolando no pau dele, algo que nunca imaginei, era inacreditável. Não sabia se ficava mais com tesão ou chocado, mas logo era só tesão. Ele então começou a bombar forte. Como se não bastasse, começou a me bater uma punheta. Nem preciso dizer que foi um dos maiores gozos da minha vida, gozamos juntos. Sentir aquele mastro pulsando dentro de mim foi algo que não consigo colocar em palavras. Praticamente desmaiamos juntos na cama, moles e desfalecidos. Ele logo saiu de dentro de mim e não conseguimos fazer nada além de trocar um último beijo e praticamente desmaiar. Dormimos cheios de porra no cú mesmo, sem nos importarmos com nada. Foi uma loucura completa, o tesão tomou conta. Mais tarde tomamos banho, colocamos a roupa e trocamos números de telefone (ainda nem tinhamos dado tempo de trocar números) para uma próxima foda louquíssima na semana que viria. Saí de lá totalmente chocado comigo mesmo, mas muito mais satisfeito do que imaginava. Depois disso nunca tive uma experiência tão boa como passivo, porque não conseguimos nos ver mais, e as outras vezes que tentei não foram boas. Mas sempre vou lembrar do garotinho que me desvirginou, sem dúvida.

Querendo trocar contos, é só me escrever, terei prazer em trocar experiências e ficções.

fernandinhogyn@bol.com.br

Você pode deixar uma resposta, ou trackback de seu próprio site.

Deixe uma resposta