Eu e meu priminho de 10 anos!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (9 votes, average: 3,89 out of 5)
Loading ... Loading ...

Oi pessoal! Sempre fico com muito tesão lendo os contos eróticos desse site, então agora, vou contar o que aconteceu comigo uns anos atrás juntamente com meu primo.
A história é real, porém vou usar nomes fictícios para mim, nem meu primo sermos identificados.
Meu nome é Ricardo, tenho 19 anos e meu primo, o Cláudio, tem 13. O fato começou há 3 anos atrás, com a nossa idade de 16 e 10 respectivamente.
O meu primo, sempre ficava brincando comigo de muitas coisas, porém nesse dia, ele havia acabado de aprender uma brincadeira com os colegas de classe dele. Ele ficava passando a mão na minha bunda, e a intenção da brincadeira, era não deixar que ninguém conseguisse passar a mão em sua bunda.
Eu, no começo, não havia gostado da brincadeira, e falava para ele parar de fazer isso, pois estava ficando irritado com essa brincadeira besta, mas só depois que comecei a ver essa brincadeira com outros olhos..
Eu, ainda ficava fingindo que não gostava de nada disso, já que meu primo é muito teimoso, e com certeza iria continuar a fazer cada vez mais isso, se ele soubesse que eu não gostava, foi então que, algumas vezes, não deixava ele passar a mão em minha bunda, e outras vezes deixava de propósito, até fingia que estava dormindo de vez em quando..
Então, comecei a reparar na bunda dele, que era muito pequenininha, mas muito tesuda e durinha, então comecei a fazer essa brincadeira com ele.
Eu, que era muito mais forte que ele devido à idade, punha ele no colo e ficava um bom tempo acariciando aquela bundinha apetitosa dele, e ele sempre dizendo: – Me solta! Me solta!, mas no fundo, eu sabia que ele estava mesmo é gostando..
Ficamos naquela brincadeira, um acariciando o outro, e nenhum dos dois já se importava em não deixar o outro passar a mão..
Estávamos com muita tesão brincando daquela forma..
Foi então que tive uma idéia.. Disse a ele para nos acariciarmos, por dentro da cueca. Ele ficou meio apreensivo, mas resolveu topar, foi quando eu pus ele em meu colo e acariciei a bundinha dele por dentro daquela cuequinha. Meu Deus, a bunda era muito lisinha e gostosa, então tive a idéia de tentar enfiar meu dedo naquele buraquinho apertadinho que ele tinha.
Ele falou que aquilo não valia, e que eu não havia avisado ele de nada disso, foi quando eu disse, que ali (estávamos na minha casa) eu que fazia as regras do jogo. Ele não disse nada, e percebi ele abrir um pouco as pernas, para que eu conseguisse enfiar aquele dedo inteiro no seu cuzinho lindo, que parecia piscar de tesão.
Fui tirando aos poucos a roupa dele, e então ele me falou: – Você tá doido? E se alguém chega?
Eu estava possuído pelo tesão naquele momento, e então disse: – Que nada! Agora vamos acabar a brincadeira!
Tirei a roupinha dele toda, e então foi que tive noção melhor da sua bundinha. Era linda! Macia, porém ao mesmo tempo durinha, com uns pelinhos pequenos e loirinhos e com o cuzinho bem rosado.
Notei, também o pau dele, pequenininho, porém grosso até para a idade e então disse: – Agora vamos apimentar a brincadeira!
Tirei uma moeda do bolso, e disse que se caísse cara, iria chupar o cuzinho dele, e se tirasse coroa, iria chupar o pau dele.
Ele apenas respirou ofegante, e então lancei a moeda para cima. Fiquei desapontado, pois havia tirado cara, e eu estava mais a fim de mamar aquele pauzinho lindo. Então deitei ele com a barriga para cima, e então, por sua vontade, ele abriu as pernas, para que eu conseguisse chupar aquele cuzinho lindo. Antes de começar a linguadinha no cu, tomei o cuidado de trancar o portão da frente e o da minha casa também, para que se viesse alguém, eu conseguisse me arrumar antes que alguém presenciasse aquela cena.
Voltei aonde ele estava, e fiquei surpreso, quando vi ele enfiando o próprio dedo no cuzinho dele, cheio de tesão. Eu fiquei olhando com uma cara de safado para ele, foi quando ele me disse: – Vem logo! O que você está esperendo!
Eu fui à loucura nesse momento e caí de boca naquele anelzinho lindo, o que fez arrancar vários suspiros e gemidos dele..
Fiquei lambendo aquele cuzinho por vários minutos (uns 15), parecendo um cachorro no cio, e ele uma fêmea totalmente dominada pelo seu macho.. Finalmente ambos saciados, disse que era a vez dele chupar meu cuzinho, e ele prontamente concordou, posicionando-se para a linguadinha que eu tanto esperava.
Meu Deus! Aquela linguinha pequena, úmida e quente me fez ir até as nuvens, e ele chupava vorazmente meu anelzinho, e naquele momento, quem era a fêmea seria eu..
Finalmente, depois de um bom tempo, ele parou de me lamber, e então, dei a idéia de fazermos um 69 para completarmos a nossa suposta brincadeira. Ele não sabia o que significava 69, pois ainda era muito novinho e não tinha muita malícia. Então expliquei à ele o que era, só que da maneira prática.
Começamos, então, a mamar cada um a vara do outro, e foi então que senti o cheirinho gostoso e o gosto mais delicioso ainda daquela rola pequena, porém bem gostosa. Chupei aquilo como se eu fosse um animal, e mamava, ora na cabecinha rosadinha dele, ora na base e botava, também aquelas bolas cheirosas na minha boca. Ele fazia a mesma coisa do que eu, as quais pouco a pouco eu estava ensinando, e ele ia às alturas com isso, e eu mais ainda, já que estava mamando e sendo mamado deliciosamente.
Num determinado momento, o tesão falou mais alto, e vi que eu iria gozar. Segurei a cabeça dele contra o meu pau, fechei a boca dele para que a mesma não abrisse e gozei fartamente naquela boquinha pequena e inquieta.
Mesmo eu segurando com força a boca dele para que ele não cuspisse minha porra fora, escorria um pouco pelo canto da boca dele, já que eu gozava muito. Ele tomou um grande susto, mas aos poucos fui acalmando ele, passando a mão em seus cabelos, e disse para ele engolir tudinho que ele iria gostar.
Depois que ele engoliu todo o leitinho, ele perguntou algumas coisas, já que a curiosidade é muito freqüente na idade dele. Eu expliquei tudo à ele, que era muito esperto, e compreendeu tudo rapidinho.
Depois disso, dei um longo beijo de língua nele e fomos tomar banho juntos. Isso não tinha problema algum, já que eu sempre tomava banho com ele quando ele estava na minha casa, e todo mundo sabia disso, afinal era normal, já que éramos primos muito íntimos, e então ninguém da minha família via maldade nisso..
No banho, ainda nos beijamos muito e ficamos nos acariciando por um bom tempo. Disse à ele que ninguém poderia saber nada daquilo que tinha acontecido, nem mesmo seus amigos mais íntimos. Ele concordou, e fomos até o meu computador, para ver algumas putarias de sites gays.. Prontamente, botei em um vídeo que tinha um cara comendo outro, e ele, meio que sem graça, perguntou se a gente poderia fazer aquilo também. Eu disse que em pouco tempo, conseguiríamos fazer aquilo, mas que isso dependeria só dele, pois meu pau era muito grande para o pequeno duzinho dele.
Então, dei a sugestão, de todo dia, no banho ou em qualquer outro momento, enfiasse coisas no cu, para que ele se alargasse e algum dia, conseguisse engolir a minha pica todinha.. Ele falou que com certeza, iria fazer isso, pois queria muito dar o rabo para mim, e então ficamos um pouco mais no PC vendo putarias, até que minha mãe chegou e rapidamente, fingimos que estávamos jogando um joguinho que gostávamos..

Bom, esse aqui foi o primeiro de muitos contos que pretendo contar, relatando tudo o que eu e meu primo fizemos durante esses 3 anos que estamos fazendo essas putarias. Peço também, que votem nesse conto, para que me incentivem a escrever cada vez mais..
Um grande abraço a todos que leram esse conto! Até outra vez!

Você pode deixar uma resposta, ou trackback de seu próprio site.

Deixe uma resposta